Low cost Breeze Airways volta a alterar seus planos de estreia

Nova companhia aérea de David Neeleman desistiu de adquirir certificado de operação da Compass Airlines e voltou a contar com aeronaves E195 da brasileira Azul
A Breeze só deve receber o primeiro A220-300 em agosto (Breeze)
A Breeze só deve receber o primeiro A220-300 em agosto (Breeze)

A Breeze Airways, nova companhia aérea low cost do empresário David Neeleman, tem passado por reviravoltas em seus planos antes mesmo de estrear no mercado de aviação dos EUA. Após postergar o início da operação para 2021, a empresa também decidiu fechar um novo contrato de leasing de aviões E195 usados com a empresa de leasing Nordic em vez de assumir aeronaves da companhia aérea brasileira Azul, também de propriedade do empresário.

Nesta semana, no entanto, em conferência com analistas financeiros, o Neeleman e o presidente da Azul, John Rodgerson, revelaram que três unidades do E195 serão enviadas para a Breeze até o final do ano. A informação contrasta com a nota da própria Breeze que afirmava que o acordo com a Nordic possuía “termos significativamente melhores do que o compromisso original assinado com a Azul para aeronaves E195”.

Nas declarações ao mercado, a Azul afirmou que repassará 12 aviões E195 para a companhia aérea dos EUA. A Breeze decidiu incorporar 15 jatos E195 para dar início aos seus serviços antes de receber os novos Airbus A220-300, que só chegarão no segundo semestre de 2021 e serão responsáveis pelas rotas de maior demanda.

Certificado de operação próprio

Neeleman também tentava uma manobra para obter o certificado de operação existente junto ao Departamento de Transporte dos EUA (DOT). Para isso, a Breeze negociava a compra do certificado da regional Compass Airlines, que parou de voar em abril por conta da pandemia.

Segundo o site The Points Guy, no entanto, a Breeze cancelou o processo para transferir o certificado da Compass e agora tentará obter sua própria autorização, o que pode levar mais tempo.

O acordo motivou protestos do sindicato de pilotos ALPA, que exigia que os contratos de trabalhos fossem preservados na nova empresa, algo que certamente a Breeze não desejava.

A Breeze Airways planeja oferecer um serviço low cost amplamente automatizado. A empresa deverá estrear em 15 cidades da Costa Leste e Meio-Oeste e Sul dos EUA além do estado do Texas.

A Azul deve repassar 12 jatos E195 para a Breeze (Joao Carlos Medau/CC)

Veja também: Azul lança nova divisão sub-regional, a Azul Conecta

Total
7
Shares
Previous Post

Nova estação radar da FAB em Corumbá (MS) vai ajudar a coibir o narcotráfico

Next Post

Alemanha recebe primeiro avião presidencial baseado no Airbus A350

Related Posts