Lufthansa espera receber primeiro Boeing 777X em 2021 e a Emirates, em 2022

A despeito da pandemia, desenvolvimento do novo 777X segue com um cronograma otimista
(Dan Nevill/Wikimedia Commons)

Entre os tantos aviões comerciais que tiveram pedidos cancelados ou adiados nos últimos meses por conta da pandemia da COVID-19, o novo Boeing 777X está aguentando a tormenta e logo deve estrear nos aeroportos, começando com a companhia aérea alemã Lufthansa.

Ao Aerotelegraph, um porta-voz da Lufthansa informou que a companhia espera receber o primeiro 777-9 no decorrer de 2021. A notícia vem dias após a Emirates Airline ter divulgado que não espera receber seus aparelhos até 2022. Os alemães encomendaram 20 aeronaves e a companhia de Dubai, o principal cliente do novo jato da Boeing, tem 115 pedidos.

Maior avião bimotor de todos os tempos, o 777-9 promete ser 21% mais eficiente em consumo de combustível que seu antecessor, o 777-300ER. No pós-pandemia, a empresa que tiver condições de adquirir jatos mais econômicos pode obter melhores resultados durante a retomada do mercado.

Os dois protótipos do novo 777X andam com uma rotina de voos bastante agitada nos últimos dias. O primeiro protótipo, o N779XW, já realizou voos com mais de seis horas de duração e o segundo aparelho, o N779XX, ensaios com pouco mais de três horas, segundo registros do FlightRadar24. Os testes iniciais do novo gigante da aviação estão sendo realizados nas unidades da Boeing no estado de Washington, em Moses Lake, Everett e Seattle.

Imagem do primeiro 777-9 da Emirates na linha de montagem da Boeing (Emirates)

A certificação da nova geração do 777 nos EUA é esperada para o início de 2021. O avião precisa ser avalizado pelo FAA, a agência de aviação norte-americana que serve de referência para o mundo todo O 777-9 será o primeiro grande jato comercial certificado pelo órgão norte-americano, que após a crise com o 737 MAX precisa ser ainda mais rigoroso.

A Boeing ainda comenta sobre a data prevista para o lançamento da aeronave. Em nota enviada ao Simple Flying, a empresa disse “está trabalhando em estreita colaboração com nossos clientes em toda a empresa, enquanto eles continuam a se adaptar à situação da COVID-19. Continuamos a executar nosso robusto programa de testes para o 777-9, que iniciou os testes de voo em janeiro”. A fabricante ainda acrescentou que o terceiro avião de testes deve voar nas próximas semanas.

Cliente de lançamento do 777X, a Lufthansa encomendou 20 unidades do 777-9 (Lufthansa)

O 777-9 deve assumir o protagonismo entre os grandes jatos comerciais após a pandemia e nas próximas décadas (ou quem sabe até menos) pode ser o maior avião comercial do mundo em atividade ao passo que os Boeing 747 e Airbus A380 vão sendo retirados do mercado.

Veja mais: Russos e chineses se desentendem no programa do widebody CR929

Total
140
Shares
Previous Post

Força aérea da Alemanha encomendou dois jatos Airbus A321LR

Next Post
O Cessna 172 "zero km" é avaliado em cerca de US$ 360 mil (Cessna Aircraft)

Petrobras suspende a venda de gasolina de aviação no Brasil

Related Posts