Mais de 13 mil aviões comerciais estão aterrados no mundo todo (Pittsburgh International Airport)

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) está colocando a aviação comercial de joelhos. Segundo dados da consultoria Cirium, 13.655 aeronaves comerciais foram armazenadas por seus operadores até esta sexta-feira, 3 de abril. Isso significa que agora existem mais aviões de passageiros inativos do que em serviço no mundo todo.

A consultoria vem publicando relatórios diários desde 19 de março mostrando o ritmo de paralisação do setor devido a disseminação da Covid-19 no mundo todo. De acordo com a pesquisa, mais de 1.000 aeronaves foram armazenadas nos últimos dois dias. Até esta sexta-feira, a Cirium contabilizou 12.635 aviões comerciais (de passageiros) ativos.

O segmento mais afetado nesse período é o dos aviões de corredor duplo (widebodies). A consultoria aponta que 62% dos widebodies da Airbus e Boeing (3.144 aeronaves) estão aterrados. Existe, no entanto, uma grande disparidade entre as fabricantes, com 70% dos modelos da Airbus armazenados, em comparação com 56% da Boeing. Enquanto isso, na extremidade superior desse mercado, agora existem apenas 28 jatos 747 e 21 A380 de passageiros em serviço.

Com base na atividade observada e a taxa de armazenamento de jatos comerciais, a Cirium afirma que a frota mundial em serviço deve alcançar um certo de grau de estabilização nas próximas semanas ou menos.

Queda brusca no movimento

Março testemunhou uma queda história no tráfego aéreo mundial, à medida que países expandiam as restrições de viagens e a demanda por transporte aéreo evaporava. De acordo com o FlightRadar24, foram rastreados 4.294.685 voos no mês passado, uma queda de 21,6% (e de 27,7% dos voos comerciais) em relação ao mesmo período em 2019.

Dados da plataforma também mostram que mais de 100 companhais aéreas estão completamente paradas ou perto de paralisar suas atividades.

Veja mais: Feira de aviação executiva LABACE 2020 é adiada