Novo caça do Japão deve voar até 2028

Ministério da Defesa do Japão informou que planeja iniciar em 2031 a produção em massa de seu novo caça de defesa aérea
( )
Entre 2016 e 2017, o Japão testou o Mitsubishi X-2 para avaliar tecnologias de caças furtivos 

O Ministério da Defesa do Japão informou que planeja iniciar em 2031 a produção em massa de seu novo caça de defesa aérea, segundo relatos da imprensa japonesa. A previsão é que o primeiro esquadrão seja declarado operacional em 2032, data programada para a aposentadoria dos 60 jatos Mitsubishi F-2, a versão local do Lockheed Martin F-16 em serviço com a força aérea do país.

A produção dos protótipos deve começar em 2024 e os primeiros voos devem acontecer até 2028. De acordo com a mídia do país, cerca de US$ 100 milhões já foram investidos apenas para elaborar o conceito inicial da aeronave de combate, possivelmente um caça furtivo de quinta geração. Uma empresa japonesa será contratada para conduzir o projeto.

Atualmente, além dos F-2, a força aérea do Japão conta com cerca de 150 caças F-15 Eagle e recebeu até o momento 12 modelos F-35A Lightning II de uma encomenda inicial de 135 aeronaves.

O Mitsubishi F-2 é a versão japonesa do caça F-16 da Lockheed Martin (Jerry Gunner/Wikimedia Commons)

Ao Flight Global, a Agência de Tecnologia e Logística de Aquisição do Japão disse recentemente que está trabalhando com empresas do Reino Unido e dos EUA no programa, mas frisou que o projeto terá um design totalmente novo, embora possa herdar tecnologias encontradas no F-35.

O novo programa japonês também pode aproveitar os avançados obtidos com o Mitsubishi X-2 “Shinshin” (anteriormente conhecido como ATD-X), um jato supersônico experimental que testou tecnologias avançadas de caças furtivos. Entre 2016 e 2017, a aeronave realizou 34 voos.

Em 2018, o Japão colocou o projeto X-2 em hibernação e decidiu que precisaria trazer parceiros internacionais para concluir o projeto. A nova proposta divulgada pelo Ministério da Defesa japonês pode ser justamente uma continuação desse programa.

O desenvolvimento do X-2 colocou o Japão como a quarta nação do mundo a desenvolver e voar com seu próprio jato furtivo, depois dos EUA, Rússia e China.

Veja mais: Suécia prepara planos sobre caça de próxima geração

Total
74
Shares
Previous Post

Meio drone, meio avião: Indra testa aeronave onde o piloto é “item opcional”

Next Post

No pior acidente da Varig, um cigarro derrubou um Boeing 707 em Paris

Related Posts