Phenom é o novo jato de treinamento militar do Reino Unido

Modelo executivo da Embraer será utilizado na formação de pilotos em aeronaves multimotor
Concepção artística do Phenom 100 com a "farda militar" britânica (Embraer)
Concepção artística do Phenom 100 com a “farda militar” britânica (Embraer)

O Ministério da Defesa do Reino Unido escolheu o jato Embraer Phenom 100 para realizar o treinamento de pilotos das forças armadas em “aeronaves multimotor”. O contrato assinado com a Affinity Flight Training Services prevê a aquisição de cinco aeronaves para o programa Military Flight Training System (MFTS). A negociação também inclui um pacote de serviços e opções para aviões adicionais.

Segundo a Embraer, o programa destina-se a substituir o modelo de treinamento inicial, básico e multimotor, que atualmente é realizado em aeronaves mais antigas, por uma nova solução mais moderna e com dispositivos de treinamento no solo e material didático.

A solução é derivada do modelo de formação desenvolvido pela Ascent Flight Training, empresa responsável pelos serviços de treinamento do programa MFTS no Reino Unido. Em 2014, a Affinity foi selecionada pela Ascent Flight Training para fornecer e operar as aeronaves selecionadas para o programa MFTS.

“Estamos muito orgulhosos por termos sido selecionados em um programa tão importante para o Ministério da Defesa do Reino Unido”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “O Phenom 100 é uma aeronave muito confiável, com boa relação custo-benefício, fácil de operar e que também já foi selecionada para realizar o treinamento de tripulantes de importantes companhias aéreas internacionais.”

O programa MFTS do Reino Unido é voltado para a formação de pilotos das forças armadas desde a fase inicial até o treinamento em voo elementar, básico e avançado, preparando-os para atuar em suas unidades operacionais designadas.

Veja mais: Boeing começa a projetar o novo “Air Force One”

Total
0
Shares
Previous Post
A EasyJet transportou mais de 64 milhões de passageiros em 2014 (EasyJet)

Companhia inglesa quer usar motores elétricos na fase de táxi

Next Post

Focke-Wulf FW 200 Condor, o carrasco do Atlântico

Related Posts