Primeiro dirigível projetado no Brasil realiza voo inaugural

Modelo ADB-3-X01 da Airship é o primeiro aerostato tripulado construído na América Latina
O ADB-3 é pode transportar uma carga útil de até uma tonelada e alcançar 85 km/h (Divulgação)
O ADB-3 é pode transportar uma carga útil de até uma tonelada e alcançar 85 km/h (Divulgação)
O ADB-3 é pode transportar uma carga útil de até uma tonelada e alcançar 85 km/h (Divulgação)
O ADB-3 é pode transportar uma carga útil de até uma tonelada e alcançar 85 km/h (Divulgação)

A Airship do Brasil, fabricante baseado em São Carlos (SP), promoveu nesta segunda-feira (24) a apresentação e o primeiro voo público do ADB-3-X01, primeiro dirigível tripulado desenvolvido no Brasil e na América Latina. Segundo a empresa, a aeronave será comercializada a partir de 2018 – o aparelho é avaliado em cerca de US$ 20 milhões.

Com o feito, o Brasil entrou para o seleto grupo de países construtores de dirigíveis tripulados. Outras nações que detém o ciclo completo para construir esse tipo de aeronave são os Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido e China.

Como explica a empresa, a versão final do ABD-3 poderá ser aplicada em diversas funções, como treinamento de pilotos de dirigíveis, transporte de passageiros e pequenas cargas, voos de reconhecimento, propagandas, entre outras. O aparelho também pode ser equipado com variados equipamentos, como câmeras de vídeo, radares e holofotes.

Para estas finalidades, a aeronave foi projetada com 49 metros de comprimento e 17 m de altura, com capacidade de carga em torno de 1 tonelada, e espaço para um piloto e até 5 outros ocupantes. Ainda de acordo com a Airship, o motor rende 300 HP (a empresa ainda não divulgou maiores detalhes sobre a motorização) e o dirigível pode voar a 85 km/h.

A companhia iniciou suas atividades com projetos de dirigíveis não tripulados radiocontrolados, os modelos ADB-1 e ABD-2, testados em 2009. A empresa também já desenvolveu balões cativos de vigilância.

O modelo tem 49 metros de comprimento e 17 m de altura (Divulgação)
O modelo tem 49 metros de comprimento e 17 m de altura (Divulgação)

Empresa pioneira no Brasil

A Airship, formada em 2005, iniciou suas atividades com projetos de dirigíveis não tripulados radiocontrolados, os modelos ADB-1 e ABD-2, testados em 2009. A empresa também já desenvolveu balões cativos de vigilância.

Além do desenvolvimento do ABD-3, primeiro modelo tripulado projetado pela companhia de São Carlos, a Airship também trabalha no desenvolvimento do ADB-3-30, um dirigível cargueiro com capacidade de carga para até 30 toneladas.

Era uma vez, em Paris…

A Airship é a primeira empresa brasileira que desenvolveu um dirigível, mas nem de longe é o primeiro esforço de um brasileiro nessa área. Anos antes de voar pela primeira vez com o avião 14-Bis, em 1906, Alberto Santos Dumont já voava por Paris em balões e dirigíveis motorizados projetados e construídos por ele mesmo.

O primeiro dirigível de Santos Dumont a ganhar notoriedade foi o modelo N-5, de 1901. Com esse aparelho, o inventor brasileiro realizou um voo por Paris e contornou a Torre Eiffel. O “Pai da Aviação” também criou um modelo portátil, o N-9, que ficava “estacionado” na varanda de sua casa na capital francesa e o N-10, projetado para transportar 20 passageiros.

O dirigível N-3 foi construído por Santos Dumont em 1899, na França (Domínio Público)
O dirigível N-3 foi construído por Santos Dumont em 1899, na França (Domínio Público)

Veja mais: Conheça as máquinas voadoras de Santos Dumont

Total
0
Shares
Previous Post
O museu no Campo de Marte deve aproveitar parte da coleção do Museu da Tam, atualmente desativado (Thiago Vinholes)

Aeroporto Campo de Marte vai ganhar museu aeroespacial

Next Post

Fundador da Azul, David Neeleman deixa presidência da companhia aérea

Related Posts