Conheça os 10 aviões mais caros da atualidade

Preço de uma aeronave militar, como o B-2 Spirit, pode passar de US$ 2 bilhões, enquanto um jato comercial de grande porte custa mais de US$ 340 milhões
Se até uma asa-delta é cara, imagine quanto custa um jato comercial?
Se até uma asa-delta é cara, imagine quanto custa um jato comercial?
Se até uma asa-delta é cara, imagine quanto custa um jato comercial?
Se até uma asa-delta é cara, imagine quanto custa um jato comercial?

Máquinas voadoras , de qualquer tamanho, têm algo em comum: são todas caras. Não existe um avião ou helicóptero “popular” que pessoas de classe média ou até alta conseguem comprar. Uma asa delta, por exemplo, pode custar até US$ 5.000, enquanto um kit de paraquedas saí por US$ 1.500. Já aviões de pequeno porte ou então um planador, ultrapassam facilmente a faixa dos US$ 150 mil. Em suma, não é qualquer um que consegue voar.

Agora imagine o valor de um enorme jato comercial ou então um avião militar de transporte ou ataque? Sim, eles são caríssimos. As aeronaves mais comuns no Brasil, como o Airbus A320 e o Boeing 737, custam entre US$ 90 milhões e US$ 100 milhões, ou até mais dependendo da configuração escolhida pela companhia aérea que os utiliza ou por um cliente particular, que nesse caso costuma ser excêntrico e não economiza na personalização.

Veja mais: Conheça os 10 maiores aviões em operação no Brasil

Aviões são caros por conta de seu desenvolvimento, que consome enormes investimentos durantes anos de testes e aperfeiçoamentos de engenharia até se tornar plenamente operacional.

Confira abaixo os 10 aviões mais caros da atualidade:

 

10. Northrop Grumman E-2 Hawkeye – US$ 232 milhões

O "avião-radar" E-2 foi concebido originalmente para decolar e pousar em porta-aviões (Foto - US Navy)
O “avião-radar” E-2 foi concebido originalmente para decolar e pousar em porta-aviões (Foto – US Navy)

Chamado de “olhos da frota”, o E-2 Hawkeye é um avião de configuração até simples e motores turbo-hélices, que são mais baratos que turbojatos. Essa aeronave, porém, é cara devido ao radar instalado na parte superior da fuselagem. Esse equipamento, com alcance de 200 km, serve para detectar e acompanhar ameaças que se aproximem de um porta-aviões, uma vez que esse modelo pode ser operado a partir de navios-aerodromos.

9. Airbus A330 – US$ 245 milhões

O A330 é utilizado no Brasil pelas companhias aéreas TAM, Azul e Avianca (Foto - Airbus)
O A330 é utilizado no Brasil pelas companhias aéreas TAM, Azul e Avianca (Foto – Airbus)

Terceira maior aeronave da Airbus, o A330 é um dos modelos comerciais atuais de maior sucesso entre companhias aéreas. Capaz de levar quase 300 passageiros, o avião tem alcance de 12.300 km e pode voar a velocidade máxima de 870 km/h. Também é utilizado como cargueiro e pode decolar com até 230.000 kg de peso máximo.

8. Boeing 787 Dreamliner – US$ 250 milhões

O ar na cabine do 787 é mais agradável devido a possibilidade de poder umedecer o ambiente sem risco oxidação (Foto - Boeing)
O ar na cabine do 787 é mais agradável devido a possibilidade de poder umedecer o ambiente sem risco oxidação (Foto – Boeing)

Avião comercial de última geração, o 787 é menor e leva menos carga que o A330, por exemplo. No entanto, a recém-lançada aeronave da Boeing tem custos de operação inferiores devido ao seu consumo de combustível otimizado e também por conta de sua construção, que utiliza materiais compostos mais leves, como fibra de carbono. Como o aparelho é construído usando menos material metálico, a cabine pode ser climatizada com um ar mais úmido, aumentando o conforto a bordo sem oxidar os componentes internos.

7. Boeing P-8 Poseidon – US$ 290 milhões

O P-8 é o novo avião caçador de submarinos dos EUA. O aparelho vai substituir o P-3 Orion (Foto - US Navy)
O P-8 é o novo avião caçador de submarinos dos EUA. O aparelho vai substituir o P-3 Orion (Foto – US Navy)

Aeronave militar de vigilância marítima e caçador de submarinos, o P-8 Poseidon é uma variação do jato comercial Boeing 737 desenvolvida para a Marinha dos Estados Unidos (US Navy). Possui um radar de longo alcance, detector de anomalias magnéticas e pode levar um variado leque de armas anti-navios no porão, como mísseis, bombas e minas marítimas.

6. Boeing 747-800 – US$ 300 milhões

Lançado em 1969, o 747 fica mais avançado e maior a cada geração. A versão mais recente, a "800", pode levar quase 600 passageiros (Foto - Boeing)
Lançado em 1969, o 747 fica mais avançado e maior a cada geração. A versão mais recente, a “800”, pode levar quase 600 passageiros (Foto – Boeing)

A geração mais recente do Boeing 747, o famoso Jumbo, é atualmente a aeronave mais comprida e pode carregar, dependendo da configuração, mais de 600 passageiros por quase 15.000 km. Apesar de seu enorme porte, com quase 80 metros de comprimento, o Jumbo é uma das aeronaves comerciais mais rápidas, podendo atingir 920 km/h.

5. Boeing C-17 Globemaster – US$ 328 milhões

Uma das características mais impressionantes do C-17 é sua capacidade de pousar em pistas de terra (Foto - USAF)
Uma das características mais impressionantes do C-17 é sua capacidade de pousar em pistas de terra (Foto – USAF)

Avião de transporte militar mais caro do mundo, o C-17 alcançou tamanho valor devido às exigências pedidas pela Força Aérea dos EUA (USAF). Somente na primeira fase de desenvolvimento foram gastos mais de US$ 40 bilhões. O resultado foi a criação de uma aeronave capaz de carregar  80 toneladas de carga para qualquer ponto do planeta (o C-17 pode ser reabastecido em voo) e até mesmo pousar em pistas de terra.

4. Airbus A350 – US$ 341 milhões

Tal como o 787, o A350 é construído com muita fibra de carbono e tem motores mais eficientes (Foto - Airbus)
Tal como o 787, o A350 é construído com muita fibra de carbono e tem motores mais eficientes (Foto – Airbus)

Concorrente direto do Boeing 787, o Airbus A350 é outra aeronave de última geração. Seu alto preço é compensado pela economia de até 20% em consumo de combustível. O A350 também é fabricado com grandes quantidades de fibra de carbono, material que o torna mais leve e também deixa a cabine mais confortável para os passageiros, que podem respirar um ar mais úmido – sem risco de enferrujar partes metálicas do aparelho.

3. Lockheed Martin/Boeing F-22 – US$ 350 milhões

O caça F-22 Raptor carregar seus mísseis em porões internos para não ser detectado por radares (Foto - USAF)
O caça F-22 Raptor carregar seus mísseis em porões internos para não ser detectado por radares (Foto – USAF)

Considerado o caça mais avançado e brutal do mundo, o F-22 pode voar duas vezes rápido que o som (velocidade máxima de 2.450 km/h) e ainda é invisível aos radares, devido a forma facetada de sua fuselagem e também por conta de um material especial que absorve as ondas de radar. A aeronave é armada com um canhão de 20 mm e pode levar quatro mísseis de longo alcance escondidos em porões internos.

2. Airbus A380 – US$ 428 milhões

O A380 só perde em tamanho e peso para o enorme cargueiro Antonov AN-225 (Foto - Airbus)
O A380 só perde em tamanho e peso para o enorme cargueiro Antonov AN-225 (Foto – Airbus)

Maior avião de passageiros da história, o A380 pode ser configurado para carregar mais de 800 passageiros em dois andares. É também o avião mais pesado da atualidade, podendo decolar com 575.000 kg e pode atingir quase 1.000 km/h. Devido ao seu preço e altíssimos custos operacionais, o “Super Jumbo” está encalhado no mercado.

1. Northrop Grumman/Boeing B-2 Spirit – US$ 2,4 bilhões

Avião mais misterioso da atualidade, o bombardeiro B-2 é um projeto avançado de "asa-voadora" (Foto - USAF)
Avião mais misterioso da atualidade, o bombardeiro B-2 é um projeto avançado de “asa-voadora” (Foto – USAF)

Avião mais caro de todos os tempos, o B-2 Spirit com seu formato peculiar se parece mais com um disco voador, especialmente quando visto de lado. Bombardeiro de longo alcance e invisível ao radar, o aparelho pode atacar qualquer ponto do planeta, inclusive com armas nucleares, voando a uma velocidade máxima de 1.010 km/h. A Força Aérea dos EUA possui atualmente uma frota com 21 unidades do B-2.

Total
6
Shares
16 comments
  1. Realmente muito interessante. Mas seria mais interessante mostrar as tecnologias dos aviões Brasileiros.

  2. Boa reportagem, porém há um pequeno engano na parte do P-8 Poseidon, que foi derivado do Boeing 737 e não 767.

    Valeu!

  3. Caro André,

    Cada unidade do E-2D Hawkeye não custa 400 milhões de dólares, como você afirmou baseado nesse comunicado do Japão. O contrato de US$ 1,7 bilhão, como bem diz o texto, inclui 4 aeronaves, 10 motores, 8 terminais multifunção de distribuição, 4 radares, peças de reposição, equipamento de suporte, serviços de logística, treinamento de tripulações e mecânicos, além do frete. O que você fez foi dividir por 4 a quantia de US$ 1,7 bilhão, deixando de lado os demais componentes adquiridos para a operação das aeronaves.

  4. Não entendi porque minha postagem anterior foi deletada.

    Qual foi o critério utilizado para tal?

    Apenas disse nela que o valor real (flyaway cost) de um E-2D é de 174 milhões de dólares para o ano fiscal de 2015. Que o valor de 232 milhões de dólares citado refere-se ao E-2D com pacote logístico e tudo para a US Navy.

    Também disse que o custo (flyaway cost) do F-22 é de 178 milhões de dólares e que os 350 milhões de dólares citado é referente ao pacote logístico e tudo mais.

    Cito mais um exemplo. O B-2 tem um flyaway cost de aproximadamente 800 milhões de dólares. 2,4 bilhões de dólares é o valor unitário de cada aeronave considerando o apoio logístico e tudo mais.

    Se este critério foi aplicado sem rodeios para a lista das aeronaves citadas o mesmo deveria ter sido adotado levando em conta o contrato japonês.

    Também disse que não dá para comparar valores de aeronaves militares com civis. Como havia dito antes é misturar alhos com bugalhos(exceto talvez pelo C-17).

    Afirmei que o correto então seria usar o valor flyaway cost para determinar o preço de uma aeronave e não o custo do programa de aquisição da aeronave.

    A falta de critério na exclusão de minha mensagem me espanta. Escrevesse cada abobrinha neste espaço e não se faz nada e quando é feito um questionamento válido sobre os dados apresentados na matéria a moderação opta por remover a mensagem inconveniente.

    Recomendo a moderação que dê uma passada em outros tópicos e comece a remover as verdadeiras abobrinhas (para se educado) postadas por lá.

    Atenciosamente

    André Sarmento

  5. Gosto muito, muito, muito mesmo do seu site. Voce informa tudo sobre os aviões. Parece que tudo que eu gostaria de saber voce informa. Parabens, obrigado!

  6. faltou um dos mais caros avioes desembolvidos até agora o F-35 LIGHTNING||que quase ficou encalhado por causa do alto custo de desembolvimento uma das maiores armas aereas e mais caras do planeta jamais contruidos

  7. Caro Thiago
    O Lockheed C-5B Galaxy, segundo li, o maior avião do ocidente, não deveria constar da lista? Não é superior ao C-17?

  8. Olá Mario,
    O Galaxy é grandalhão, mas não é tão caro. Custa mais de 100 milhões de dólares, mas não chega perto dessa turma aqui citada, que passa dos US$ 200 milhões.

    abs

  9. Sempre se fala das aeronaves mais caras no Mundo e no Brasil. Mas niquem fala se os modelos vendidos no Brasil têm o mesmo preço de exterior ou são mais caros aqui. Acho já está na hora de fazer reportagens sobre o tema assim como fazem com carros.

  10. Alem da nomenclatura do 747 estar errada, seu valor de mercado, conforme me foi informado em visita a sua fabrica em Everett WA eh de 340 milhoes.

    Alem disso faltou o 777 na lista.

  11. Dizem que alegria de pobre dura pouco. O que me aconteceu foi de lascar. Havia terminado de fechar a compra de um B-2 Spirit com a Boeing, havia assinado o cheque de Us$2, 5 bilhões na compra do avião mais barato do mundo para garantir minha segurança na terra “brazillis”, quando o miserável do cachorro (cujo dono é o vizinho ao lado), latiu e eu tenho o sono muito leve ACORDEI. Como havia entregado o cheque antes de assinar o contrato de compra, acredito ter ficado no prejuízo, porém, como sou brasileiro, tentar o cheque mais ele havia sido descontado muito antes de receber R$365,00 do FGTS.

    Ambrósio da Cruz Viana
    Goiânia – GO.
    E-mail: [email protected],

Comments are closed.

Previous Post
Airbus A330Neo (projeção Airbus)

Novos donos da TAP devem comprar 53 Airbus A330neo e A321neo

Next Post
O Sora-e será apresentado por inteiro nesta terça-feira (Foto - ACS Aviation)

Primeiro avião elétrico brasileiro voará hoje

Related Posts