Produção do Boeing 747 pode estar com os dias contados

Fabricante avalia se deve ou não continuar produção do 747-8 após concluir a entrega dos últimos aparelhos encomendados
(Boeing)
A Boeing ainda tem 13 unidades do 747-8 – todos cargueiros – na carteira de pedidos (Boeing)

Assunto amplamente discutido nos últimos cinco anos, o encerramento da produção do Boeing 747 ganhou ainda mais força. De acordo com o Flight Global, a fabricante está avaliando de deve ou não manter o programa após concluir o estoque atual de pedidos, composto por 13 aeronaves – todas encomendadas pela empresa de carga UPS.

Caso decida continuar produzindo o icônico Jumbo, a Boeing precisa encontrar um novo provedor de estruturas-chave para o 747-8 ou construir esses componentes por conta própria. Em novembro de 2019, a Triumph, importante fornecedora de componentes da aeronave, anunciou sua saída do programa e confirmou que iria produzir os últimos itens para o Jumbo até o final de 2020.

Os últimos pedidos para o 747-8F foram realizados em 2018, quando a UPS encomendou 14 aeronaves e a empresa russa Volga Dnepr, outras quatro unidades que posteriormente foram canceladas. A variante de passageiros deixou de ser produzida em 2017 após a entrega de 47 aeronaves. A última empresa a receber um 747 de passageiros “zero km” foi a Korean Air.

Fontes disseram ao Flight Global que, com a decisão iminente sobre o futuro do 747, há uma crescente tensão interna sobre a possibilidade de continuar ou não a produção da aeronave. A página ainda apontou que a Boeing foi abordada por dois clientes sobre novos pedidos em potencial, mas não houve nenhuma resposta da direção da fabricante em Seattle.

Além disso, nos últimos dois anos, cinco clientes do 747-8F enviaram uma carta conjunta à Boeing para esclarecer a posição da empresa sobre o futuro do programa, acrescentou o site.

O último 747-8 configurado para transportar passageiros será entregue à Korean Air (Boeing Fan Photography)
O último 747-8 configurado para transportar passageiros foi entregue à Korean Air (Boeing Fan Photography)

A Boeing confirma que, com base na taxa de produção atual (de cerca de 0,5 aeronaves por mês), a entrega do pedido restante da UPS deve ser concluída até 2022.

Já praticamente descartado no transporte de passageiros, o 747-8 ainda oferece um desempenho interessante no setor de carga. A versão -8F tem capacidade para transportar até 138 toneladas de carga, um volume significativamente maior que o do próximo cargueiro civil disponível no mercado, o 777F – capaz de embarcar 102 ton. Não só isso, o 747 cargueiro oferece maior flexibilidade pelo fato de poder ser carregado por um grande porta no nariz, permitindo embarcar cargas maiores.

Veja mais: Produção do novo jato russo Il-96-400M avança durante a pandemia

Total
105
Shares
Previous Post

Primeiro helicóptero não tripulado da China realiza voo inaugural

Next Post

Ainda proibido de voar, 737 MAX tem produção retomada pela Boeing

Related Posts