Quantos DC-10 ainda estão voando no mundo?

Após a aposentadoria do último MD-10-10F pela FedEx, restam poucas unidades civis do famoso trijato da McDonnell Douglas ainda ativos
A FedEx tirou de serviço o último MD-10-10F em junho (Tomás Del Coro)

Em agosto serão completados 50 anos desde a entrada em serviço do DC-10, um dos primeiros e mais famosos jatos widebodies do mundo.

A aeronave da McDonnell Douglas (assumida pela Boeing em 1997) começou a voar comercialmente pela American Airlines apenas um ano após o voo inaugural, um marco difícil de ser repetido nos dias atuais.

No entanto, o trijato teve uma carreira complicada após um grave acidente em maio de 1979 no Aeroporto de Chicago e acabou com apenas 386 aeronaves entregues além de outras 60 na variante militar KC-10, de reabastecimento aéreo.

Apesar disso, o DC-10 se tornou um jato bastante confiável e capaz a ponto de meio século depois do primeiro voo ainda ser possível encontrar aviões ativos pelo mundo.

DC-10-30 cargueiro da TAB Cargo (Governo do Perú)

Neste mês, a FedEx, maior cliente atual do widebody, encerrou as operações com o MD-10-10F, uma conversão do DC-10-10 de passageiros para carga. A última aeronave do tipo, prefixo N562FE, foi retirado de serviço no dia 4 de junho e enviado para o Aeroporto de Victorville, na Califórnia.

A companhia aérea cargueira, entretanto, segue utilizando outros 13 MD-10-30F, também um DC-10 convertido, mas da variante de maior alcance, a mesma usada pela Varig a partir da década de 70.

Além da FedEx, apenas a TAB Cargo, da Bolívia, utiliza o DC-10 como cargueiro. Outros quatro aviões são operados na função de combate ao incêndio pela 10 Tanker Air Carrier.

Um dos DC-10 tanque da Omega (Alec Wilson)

Os dois DC-10 restantes que estavam ativos em junho são usados para tarefas especiais. A Omega Air possui o raro DC-10-40 civil equipado para reabastecimento aéreo sendo contratado por forças aéreas para executar missões desse tipo.

A empresa possui outros três aviões semelhantes, mas que estão armazenados no momento, além de um DC-10-30 adquirido da Força Aérea da Holanda equipado com uma lança de reabatecimento aéreo do padrão da Força Aérea dos EUA.

Por fim, existe um MD-10-30F que há 10 anos é utilizado como hospital aéreo pelo Projeto Orbis e que realiza atendimento oftalmológico.

MD-10-30F usado como hospital oftalológico da Orbis (Colin Cooke Photo)

Avião-tanque KC-10

Sem contar as DC-10 civis, ainda existem vários KC-10 operacionais na USAF. No ano passado, o primeiro desses jatos foi aposentado por conta da entrada em operação do KC-46, um Boeing 767-200 projetado para essa missão.

Segundo o Planespotters, existem ainda 56 KC-10 Extender ativos na USAF, mas que devem sair de cena gradualmente nos próximos anos, tornando cada vez mais raro ver a silhueta do emblemático trijato nos céus do mundo.

Primeiro protótipo do McDonnell Douglas DC-10 (Boeing)

Total
14
Shares
Previous Post
eVTOL da Embraer

Corrida pelos táxis voadores tem Embraer em posição privilegiada

Next Post

Caça J-20 e novo helicóptero Z-8L participação do centenário do Partido Comunista chinês

Related Posts