Rússia entrega segundo lote de caças MiG-29 para a Síria

Aeronaves teriam sido entregues em cerimônia no dia 30 de maio, mas EUA afirmam que parte delas tinha como destino real a Líbia
Caça MiG-29 fotografado na Síria: país ganha reforço russo após três décadas (Reprodução/redes sociais)
Caça MiG-29 fotografado na Síria: país ganha reforço russo após três décadas (Reprodução/redes sociais)

Após mais de 30 anos, a Força Aérea da Síria voltou a contar com novos caças MiG-29. A embaixada russa no país confirmou nesta semana que o país do Oriente Médio recebeu uma quantidade não revelada da aeronave de combate no dia 30 de maio. “O exército sírio recebeu o segundo lote de MiG-29 da Rússia no âmbito da cooperação de defesa entre nossas nações. Os sírios já começaram a usar esses aviões para missões“, informou a embaixada pelo Twitter.

A cerimônia ocorreu na base aérea de Hmeymim, onde foram fotografados aviões de combate russos dias atrás, incluindo dois MiG-29 e outros dois aviões de ataque Su-24. Nenhuma dessas aeronaves ostentava insígnias ainda. De acordo com uma fonte da agência síria SANA, os pilotos passariam a utilizar os novos caças a partir de 1º de junho.

A Síria recebeu seu primeiro lote de MiG-29 em 1989 e chegou a ter cerca de 40 caças, mas estima-se que atualmente existam apenas 19 unidades operacionais e que estão em condições precárias. O segundo lote envolve caças modernizados, com radar mais avançado e capacidade de transportar mísseis ar-ar R-77 de médio alcance. O reforço obtido da Rússia seria uma forma de conter supostos ataques israelenses, afirmaram sites de imprensa russos.

A variante fotografada na Síria seria a MiG-29S, que tem como uma das diferenças as extensões do bordo de ataque dos estabilizadores verticais. O caça, no entanto, não exibe a “corcunda” da versão MiG-29SMT, mais avançada. Chama a atenção também o fato de o jato estar equipado com dois tanques extras de combustível, o que forneceria uma autonomia bastante elevada para aeronave.

A Síria recebeu cerca de 40 MiG-29 a partir de 1989, mas apenas 19 estariam em condições operacionais

Líbia como destino final

Esse detalhe reforça a versão do Departamento de Defesa dos EUA, que alega que o destino final desses aviões seria a Líbia e não apenas a Síria. De acordo com o Comando da África dos EUA, 14 aviões de combate foram monitorados na Síria e Irã antes de chegarem à Líbia. Em resposta à insinuação norte-americana, a Rússia considerou a afirmação como “estupidez”.

Assim como a Síria, também a Líbia é alvo de influência de países ocidentais e da Rússia. Desde a queda do ditador Moammar Gadhafi em 2011, o país está dividido, com forças paramilitares sendo apoiadas pelas Nações Unidas e outra, pela Rússia. Foi justamente o Exército Nacional Líbio, que recebe suporte russo, motivo de rumores de que receberia os helicópteros Mi-35 operados pela Força Aérea Brasileira. A estranha negociação envolveria a intermediação dos Emirados Árabes Unidos e da empresa de exportação russa Rosoboronexport, mas foi negada categoricamente pelo Ministério da Defesa do Brasil.

O MiG-29 é um dos mais numerosos caças russos, com mais de 1.600 unidades produzidas desde a década de 1980. É operado por cerca de 25 forças aéreas no mundo e também usado pelos americanos por meio de empresas terceirizadas que prestam serviços de treinamento de combate aéreo.

Imagens do Departamento de Defesa mostram caças MiG-29 em base líbia (DVIDSHUB)

Veja também: Caça russo Sukhoi Su-57 está sendo testado em modo não tripulado

Total
41
Shares
Previous Post

Após 79 anos, Exército Brasileiro é autorizado novamente a operar aviões

Next Post

Delta Air Lines aposenta últimos jatos MD-80 que ainda voavam nos EUA

Related Posts