Rússia inicia testes com o novo caça MiG-35

Aeronave é a nova geração do MiG-29; modelo deve entrar em operação a partir de 2019
O MiG-35 conta com oito pontos para fixação de armamentos; o modelo na imagem é o MiG-35D, testado em 2007 (MiKoyan)
Produto mais recente da MiG, o MiG-35 é a versão de exportação do famoso MiG-29 (MiKoyan)
O MiG-35 conta com oito pontos para fixação de armamentos; o modelo na imagem é o MiG-35D, testado em 2007 (MiKoyan)
O MiG-35 conta com oito pontos para fixação de armamentos (Mikoyan)

Um dos caças russos mais temidos nas últimas três décadas acaba de evoluir. A Mikoyan realizou com sucesso nessa quinta-feira (26) o primeiro teste com o MiG-35, a nova geração do MiG-29. O voo inaugural da aeronave, realizado a partir da sede da fabricante em Lukhovtsy, próximo a Moscou, foi acompanhado por Vladimir Putin, presidente da Rússia, em videoconferência.

“Este avião já tem um bom potencial de exportação. Quero dizer que a outra aeronave, o MiG-29, é usado ativamente em mais de 30 países”, disse Putin. Já Yuri Slyusar, presidente da United Aircraft Corporation (UAC), grupo aeronáutico russo do qual a Mikoyan faz parte, declarou que as primeiras unidades de série do MiG-35 estarão prontas em 2019.

A versão avançada do MiG-29 é proposta desde o final dos anos 1980, mas somente na última década seu desenvolvimento foi iniciado. Em 2007, a Mikoyan apresentou o MiG-35D, uma versão de demonstração do novo caça ainda baseado na plataforma do MiG-29. Essa aeronave foi preparada para participar do programa de aquisição de novos caças da Índia, que acabou escolhendo o Dassault Rafale, fabricado na França.

O MiG-35 testado na Rússia já incorpora as modificações estruturais e equipamentos de nova geração. Um principais avanços do caça são os oito pontos para armamentos, dois a mais que o MiG-29, e o uso de motores mais eficientes, que aumentam a autonomia da aeronave em 50%.

Segundo o fabricante, o MiG-35 é projetado para alcançar velocidade máxima de 2.400 km/h e terá autonomia superior a 2.000 km, utilizando apenas o combustível em seus depósitos internos. O projeto ainda prevê a utilização de até três tanques de combustível externos e a possibilidade de reabastecimento aéreo.

O MiG-35 é o que se chama de caça “multimissão”. Poderá ser utilizado tanto em combates aéreos, como em missões de bombardeiro, ataque ao solo e naval. “Esse avião pode usar todos os tipos de novos armamentos, assim como armas laser”, afirmou o presidente da UAC, à agencia de notícias russa TASS.

O novo avião de combate da Mikoyan é caça da chamada “4º geração ++”, considerado o último passo dessa categoria. Outras aeronaves desse segmento são o Dassault Rafale, Boeing F/A-18 e o Saab Gripen NG, aeronave que vai equipar a Força Aérea Brasileira a partir de 2019.

Veja mais: Produção do Gripen NG é iniciada no Brasil

Total
1
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz
Luiz
5 anos atrás

Bom, acho que ficou ainda mais parecido com o F-15. E o desempenho, será que é o mesmo? Ou seria ainda superior?

eduardo lopes
eduardo lopes
5 anos atrás

Esse é o mig 35 ???Nota-se pouca diferença com o mig 29 dentre esta diferenças creio que ganhou mais capacidade de armamentos e mais avionica .Nada que possa assustar um raptor f-22

Previous Post
O estudantes interessados no programa devem estar cursando o segundo ano de graduação (Thiago Vinholes)

Aviação brasileira perdeu 7 milhões de passageiros em 2016

Next Post

Caças britânicos monitoram porta-aviões da Rússia

Related Posts
Total
1
Share