Saab entrega primeira aeroestrutura do Gripen fabricada no Brasil

Componente foi produzido pela Saab Aeronáutica Montagens em São Bernardo do Campo (SP)
Saab Gripen E - Força Aérea Brasileira
Um caça Gripen E já está no Brasil realizando testes (FAB)

A fábrica de aeroestruturas da Saab em São Bernardo do Campo (SP) concluiu a produção de sua primeira aeroestrutura para o caça Gripen E/F, o cone de cauda. A fábrica da região metropolitana de São Paulo é a única linha de produção de subconjuntos do Gripen fora da Suécia. A peça será enviada para Linköping ainda neste mês, informou a empresa sueca.

“Este marco representa uma nova fase da obra, que começou com a implementação da fábrica há três anos e meio. Essa é uma grande conquista para o time. Cerca de metade de nossos montadores passaram pelo treinamento prático na Suécia, que faz parte do Programa de Transferência de Tecnologia do Gripen. Desde junho, temos trabalhado na transição da fase de design para a fase de produção contínua. Agora está pronta a primeira aeroestrutura do Gripen produzida no Brasil”, comemora Marcelo Lima, Diretor Geral da unidade.

Desde a fase de planejamento até a inspeção final, foram investidas 960 horas neste projeto. Destas, cerca de 200 foram só para produção da peça, que se iniciou na última semana de junho deste ano, de acordo com a Saab.

Cone de cauda do caça Gripen
Primeiro cone de cauda do Gripen produzido no Brasil (Saab)

“Além de seguir o já reconhecido processo de qualidade da Saab, também procuramos aqui otimizá-los para termos resultados cada vez melhores. Nossa equipe é muito engajada nesse sentido, tanto que outro ponto marcante é que durante a produção do cone de cauda, houveram poucos imprevistos e, o que tivemos, foram gerenciados da melhor forma possível, comprovando o sucesso do treinamento do time em Linköping”, conta Ola Rosén, Diretor de operações da fábrica.

Uma das beneficiárias do Programa Gripen Brasileiro, a Saab Aeronáutica Montagens é a responsável pela fabricação de 72 cones de cauda, sendo que destes, 36 serão utilizados no Gripen E/F adquiridos pela Força Aérea Brasileira – o restante é destinado aos modelos encomendados pela força aérea da Suécia.

Além deste segmento, a fábrica também será responsável pelos freios aerodinâmicos, o caixão das asas, a fuselagem traseira e a fuselagem dianteira para o Gripen E (monoposto) e para o Gripen F (biposto).

Veja mais: Colômbia avalia oferta de caças Gripen E/F da Suécia

Total
218
Shares
Previous Post
Programa F-X

Lockheed Martin vai apoiar o Japão em projeto de caça de sexta geração

Next Post

FAB recebe terceiro e último avião de busca e salvamento SC-105 Persuader

Related Posts