A luz ultravioleta é capaz de “quebrar” as proteções dos vírus e bactérias, que não resistem e morrem (Boeing)

No que depender da Boeing, não vai sobrar nenhum vestígio de coronavírus na cabine dos aviões comerciais entre uma viagem e outra nessa nova fase da aviação durante e após a pandemia que o mundo todo enfrenta. A fabricante norte-americana revelou nesta quarta-feira, 26 de agosto, um dispositivo portátil que pode neutralizar o vírus causador da COVID-19 e outros patógenos.

O equipamento é uma espécie de bastão eletrônico que emite luz ultravioleta, recurso que vem se mostrando uma arma eficiente na eliminação do coronavírus em diversos tipos de ambientes. Não só isso, ele também é fácil de usar: basta aproximar a luz a alguns centímetros acima das superfícies que precisam ser desinfetadas e “voilà”, vírus e bactérias são rapidamente eliminados.

A Boeing agora está testando o equipamento para saber se ele é eficaz contra o novo coronavírus e seguro para os operadores e os materiais nos quais é utilizado. A fabricante ainda ressalta que o dispositivo é especialmente útil para higienizar a cabine de comando das aeronaves, onde o uso de desinfetantes líquidos precisa ser minimizado para não danificar os equipamentos eletrônicos.

A fabricante também afirma que o dispositivo, embalado em uma caixa com rodinhas, pode caber em espaços compactos e por isso pode ser transportados nos aviões. O bastão “matador” de patógenos também pode ser utilizado para higienizar os toaletes nas cabines e pode desinfetar totalmente a cabine de comando em 15 minutos.

“Maleta anti-coronavírus”: o dispositivo pode ser levado na cabine dos aviões e utilizado entre um voo e outro (Boeing)

Se os testes com o equipamento se mostrarem totalmente eficaz, a Boeing diz que pode formar uma parceria com um fabricante para acelerar a produção do dispositivo e sua introdução no mercado. No futuro, o recurso pode virar item de série em aviões comerciais.

Jamie Childress, engenheiro de Pesquisa e Tecnologia da Boeing, disse: “A luz ultravioleta destrói todos os micróbios conhecidos, literalmente fazendo-os explodir. Corresponde à frequência ressonante das ligações moleculares do lado de fora dos micróbios”. Em outras palavras, a luz ultravioleta “quebra” as camadas de proteção externas dos vírus e bactérias, que não resistem e morrem.

A Boeing ainda está testando a eficácia do equipamento, que pode virar item de série na aviação (Boeing)

O desenvolvimento do equipamento faz parte da “Iniciativa Viagem com Segurança” da Boeing, que busca fornecer soluções e recomendações aos operadores e passageiros sobre como garantir a segurança das viagens aéreas.

Veja mais: Low cost Breeze Airways volta a alterar seus planos de estreia