Taxa de produção do Airbus A320 vai aumentar somente no final do ano

Taxa de produção atual de 40 unidades por mês será mantido até o 3° trimestre de 2021; em 2019, produção do A320 alcançou o pico mensal de 60 aeronaves
Airbus A320neo
Best-seller: a Airbus entregou 16 jatos da família A320 em janeiro (Airbus)

A Airbus sinalizou que não deve produzir tantas aeronaves em 2021 como havia planejado. Em atualização divulgada nesta quinta-feira (21), o grupo europeu informou que as taxas de produção permanecerão mais baixas por mais tempo. O ajuste afeta apenas os jatos da família A320, o principal produto da fabricante.

A produção do A320 será ampliada de forma gradual “em resposta ao ambiente de mercado” influenciado pela pandemia da COVID-19, diz a Airbus. A taxa atual de 40 jatos por mês será mantida até o 3° trimestre, passando em seguida para 43 unidades e 45 no 4° trimestre. Este ajuste representa um crescimento mais lento do que o previsto anteriormente de 47 aeronaves por mês a partir de julho de 2021.

Jato comercial mais vendido do mundo nos últimos dois anos, o A320 alcançou um pico de produção de 60 unidades por mês em 2019. O avião é produzido em fábricas da Airbus na França, Alemanha, Estados Unidos e China.

A taxa de produção mensal do A220 aumentará de quatro para cinco aeronaves por mês a partir do final do primeiro trimestre de 2021, conforme previsto anteriormente.

Sobre os widebodies (jatos de fuselagem larga), a fabricante espera que a produção continue estável nos níveis atuais, com taxas de produção de cinco A350 e dois A330 por mês.

Em 2019, a taxa de produção mensal de widebodies era de 4,5 jatos A330, nove A350 e um A380. A Airbus não mencionou dados sobre o “superjumbo” na atualização – a fabricante ainda tem cinco A380 encomendados e a produção da aeronave deve acabar em 2022.

A produção do A380 será encerrada em 2022 (Airbus)
A produção do A380 será encerrada em 2022 (Airbus)

“A Airbus continua monitorando o mercado de perto. Com essas taxas revisadas, a Airbus preserva sua capacidade de atender à demanda dos clientes, ao mesmo tempo que protege sua capacidade de se adaptar ainda mais à medida que o mercado global evolui. A Airbus espera que o mercado de aeronaves comerciais retorne aos níveis pré-COVID entre 2023 e 2025”, informou a empresa.

A Airbus encerrou 2020 com 566 aeronaves comerciais entregues, queda de mais de 34% em relação a 2019, quando alcançou o recorde de 861 entregas.

Total
9
Shares
Previous Post
Concepção artística do eVTOL da Embraer (Embraer)

Embraer lidera grupo de estudos sobre “táxis voadores” no Reino Unido

Next Post

Turkmenistan Airlines encomenda dois cargueiros A330P2F

Related Posts