O AW609, primeiro tiltrotor civil do mundo (Leonardo)

A Leonardo, fabricante do AW609, primeiro tiltrotor civil do mundo, anunciou na quarta-feira, 2, que o governo metropolitano de Tóquio está avaliando encomendar a aeronave para realizar a ligação aérea com as ilhas Ogasawara, também conhecidas como Ilhas Bonin. Distante cerca de 1.000 km da capital japonesa, o arquipélago é formado por dezenas de ilhas, incluindo Iwo Jima, local de uma batalha com os EUA durante a Segunda Guerra e que a ocupou até 1968.

Capaz de decolar e pousar com um helicóptero, o AW609 atinge uma velocidade de cruzeiro de 275 nós (510 km/h) e voa a uma altitude de 25.000 pés (7.620 m) com cabine pressurizada.

O AW609 “permitirá atender completamante as áreas remotas com sua combinação única de alta velocidade, longo alcance e capacidade de operação vertical”, afirmou sua fabricante, que acrescentou que a aeronave tiltrotor oferece uma desempenho sem igual no mercado. “As missões serão realizadas em todas as condições meteorológicas e mesmo em infraestrutura limitada, graças ao seu perfil semelhante a de um helicóptero”, disse a Leonardo.

Dois primeiros modelos em produção

O tiltrotor AW609 finalmente está próximo de entrar em operação após um tortuoso período de desenvolvimento. Ele surgiu de um projeto da Bell e Boeing baseado no modelo militar V-22 Osprey e mais tarde passou a contar com a participação da empresa italiana Agusta e da inglesa Westland. O projeto sofreu um duro revés em 2015 com o acidente fatal com um dos protótipos. Dois anos depois o programa de voos foi retomado e ganhou mais uma aeronave de testes.

Segundo a Leonardo, os dois primeiros AW609 de produção em série estão sendo montados na planta na Filadélfia, nos EUA, que também prevê completar o primeiro simulador de voo da aeronave até o final do ano.

A fabricante alega ter mais de 130 pedidos do modelo, mas ainda não obteve sua certificação, que será de um novo tipo estabelecido pela FAA, a agência de aviação civil dos EUA.

O voo do terceiro protótipo do AW609: de volta ao testes

Veja também: Japão se torna o primeiro operador internacional do V-22 Osprey