O eVTOL da Joby Aviation é projetado para voar a mais de 320 km/h (Joby Aviation)

Marcas consagradas da indústria automobilística estão começando a aparecer no noticiário aeronáutico. O nome da vez é a montadora japonesa Toyota Motor, que nesta semana anunciou um investimento de US$ 394 milhões na Joby Aviation, startup dos EUA que está projetando um veículo eVTOL (ou se preferir um “táxi voador”).

Com esse novo investimento, a Joby Aviation se tornou a startup mais bem financiada no mercado emergente de táxis voadores. Além do aporte da maior fabricante de carros do mundo, a startup americana baseada em Santa Cruz, Califórnia, já arrecadou um total de US$ 720 milhões para tocar seu projeto.

Além de ajudar a bancar o desenvolvimento promovido pela Joby, a Toyota informou que também vai contribuir no projeto fornecendo sua experiência em fabricação, qualidade e controle de custos. A startup dos EUA é uma das parceiras da Uber, que pretende lançar serviços comerciais de transporte aéreo urbano compartilhado até 2023.

O veículo desenvolvido pela Joby é uma aeronave multimotor totalmente elétrica capaz de realizar pousos e decolagens verticais e com espaço para cinco ocupantes (incluindo o piloto). A empresa diz que o veículo é projetado para voar a velocidade de cruzeiro de 320 km/h e terá alcance de 150 km com uma única carga de baterias.

O eVTOL é “100 vezes mais silencioso que uma aeronave convencional durante a decolagem e aterrissagem”, diz a Joby, sem definir o nível de decibéis ou a aeronave com a qual a comparação é feita. A startup ainda afirma que seu táxi voador terá um alto nível de redundância de sistemas, com “ampla capacidade de reserva” nas baterias para voar até um local de pouso alternativo. O aparelho também será capaz de realizar pousos convencionais como um aeronave de asa fixa, diz a empresa.

Fundada em 2009, a Joby Aviation vem testando versões em escala reduzida de aeronaves eVTOL desde 2014 e afirma ter conduzido “centenas” de voos de teste antes de iniciar os testes com o protótipo de produção em 2017. A startup também vem trabalhando desde o final de 2018 com a agência de aviação civil dos EUA (FAA) para alinhar os requisitos necessários para o programa de certificação de seu táxi voador.

Outra empresa do setor automotivo de olho nos eVTOL é a Hyundai Motor, mas com uma solução própria. A fabricante sul-coreana apresentou no início deste mês durante a feira de tecnologia CES 2020 um conceito de táxi voador para atuar com a Uber.

Veja mais: Azul vai voar de Viracopos para Nova York