Cessna Caravan da Two Flex: monomotor pode transportar nove passageiros (Luis Neves)

Agora uma filial da Azul Linhas Aéreas, a companhia regional Two Flex foi rebatizada na última semana como “Azul Conecta”. A negociação entre as empresas foi iniciada em janeiro deste ano e conclusão da venda foi confirmada no final de abril. A Azul vai desembolsar R$ 123 milhões em até 30 parcelas mensais pela nova divisão.

“Nós temos muito orgulho do que construímos juntos e temos a certeza de que o futuro da Azul Conecta, sob o controle da Azul será ainda mais brilhante e com melhores oportunidades e perspectivas de crescimento para todos”, diz o comunicado interno da ex-Two Flex assinado pelos sócios fundadores da empresa.

Presente no mercado desde 2013, a Two Flex (criada a partir da fusão entre as empresas de táxi-aéreo Two Aviation e Flex Aero) ganhou maior notoriedade no ano passado quando solicitou o uso de slots no aeroporto de Congonhas que pertenciam à Avianca Brasil. Entre os voos lançados pela empresa no terminal paulistano (operados na pista auxiliar de Congonhas), o de maior destaque é a “Ponte Barra” com destino ao aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Com sede em Jundiaí (SP), a nova filial da Azul tem uma frota composta por 17 aeronaves Cessna Caravan em versões de passageiros e de cargas. A empresa opera um modelo de negócios conhecido na aviação como Essential Air Services (Serviços Aéreos Essenciais), no qual aeroportos de pequenas cidades ou terminais alternativos são conectados com grandes centros.

Antes da fusão com a Azul, a Two Flex mantinha um acordo de interline com a Gol, parceria que foi encerrada após a venda da empresa.

Veja mais: Cessna SkyCourier completa primeiro voo de teste