United quer transformar jatos CRJ-550 em aviões movidos a hidrogênio em 2028

Companhia aérea dos EUA tornou-se sócia da ZeroAvia, empresa britânica que desenvolve motores a hidrogênio e que deve colocar em serviço comercial um turboélice adaptado em 2024
Projeção mostra um CRJ-550 com motores a hidrogênio/elétrico (UA)

A United Airlines mais uma vez tomou a dianteira em direção a novas tecnologias associadas ao transporte aéreo. Após assinar um acordo para compra de jatos supersônicos e uma parceria com a empresa Heart Aerospace, que produzirá modelos elétricos, a companhia aérea dos EUA anunciou na segunda-feira (13) ter investido na ZeroAvia, uma startup britânica que desenvolve tecnologias de conversão de aeronaves convencionais para uso do hidrogênio.

Segundo a United, a meta é converter 50 jatos CRJ-550 para que sejam equipados com motores ZA2000-RJ, de propulsão a hidrogênio/eletricidade a partir de 2028.

“Os motores elétricos a hidrogênio são um dos caminhos mais promissores para viagens aéreas com emissão zero em aeronaves menores, e esse investimento manterá a United à frente dessa importante tecnologia emergente”, disse Scott Kirby, CEO da United.

Segundo o acordo, a empresa aérea terá os direitos de compra de 50 motores com opção de mais 50 unidades.

A ZeroAvia quer colocar em voo comercial um Dornier 228 movido a hidrogênio a partir de 2024

“Este apoio da United, ao lado de nossos outros parceiros com visão de futuro, demonstra a importância da propulsão hidrogênio-elétrica no futuro do vôo sustentável”, disse Val Miftakhov, fundador e CEO da ZeroAvia. “As rotas da United Express movidas por aeronaves elétricas a hidrogênio permitirão que um grande número de passageiros faça voos com emissão zero nesta década”.

Voos entre o Reino Unido e a Holanda em 2024

A ZeroAvia está desenvolvendo um primeiro motor a hidrogênio, o ZA600, que será instalado num turboélice Dornier 228 a fim de obter a certificação e iniciar voos comerciais já em 2024. A ideia é estabelecer uma rota entre o Reino Unido e a Holanda, assim que sejam encontrados parceiros aptos a operar os voos.

Em setembro de 2020, a empresa realizou o primeiro voo de um avião de passageiros movido a hidrogênio/elétrico, utilizando um monomotor Piper de seis lugares adaptado.

Total
28
Shares
Previous Post

Chilena JetSmart voltará a voar para o Brasil no dia 16

Next Post

Argentina dá luz verde para conversão do turboélice Pucará Fénix

Related Posts