Air France-KLM estuda encomenda de 160 aviões para malha de baixo custo

Grupo negocia pedido com Airbus e Boeing e que serão utilizados pela Transavia, subsidiária low-cost, e pela própria KLM em rotas europeias
Boeing 737 da Transavia (Bene Riobó)

O grupo Air France-KLM reconheceu nesta segunda-feira, 12, estar negociando um pedido de 160 novos jatos com a Boeing e Airbus. As aeronaves serão usadas na expansão da malha de voos low-cost, divididas entre a KLM e a subsidiária Transavia, afirmou o Bloomberg.

O acordo pode ser o maior da história do grupo franco-holandês e envolveria a escolha entre o 737 MAX e o A320neo. A Transavia holandesa possui hoje 39 jatos 737NG, 35 deles da versão 737-800, enquanto a divisão francesa possui outros 50 737-800.

No caso da KLM, o objetivo é ampliar sua atuação na Europa com as novas aeronaves. Assim como a Transavia, a companhia holandesa é uma grande cliente da Boeing, com 48 jatos 737NG. A situação favoreceria a fabricante dos EUA, mas por outro lado, a relação próxima da Air France com a Airbus pode equilibrar a disputa.

E195-E2 da KLM (Embraer)

Segundo Ben Smith, CEO da Air France-KLM, a expansão da malha de voos de baixo custo é um elemento chave na retomada pós-pandemia. Os voos de turismo têm reagido com mais força do que o mercado corporativo após a abertura de alguns países.

A estratégia também serviria como reação à investida de empresas como a EasyJet e RyanAir, que dominam o mercado de baixo custo. A companhia aérea irlandesa, inclusive, anunciou que contratará 2.000 pilotos por conta da entrega dos novos 737 MAX 8-200.

A Air France fez pedido para 60 A220-300

Renovação de frota

A Air France e a KLM iniciaram uma renovação de suas frotas de jatos de pequena capacidade recentemente. A empresa francesa encomendou 60 A220-300, o primeiro dos quais será entregue em setembro. Já a KLM Cityhopper, sua divisão regional, está recebendo o E195-E2, aeronave regional da Embraer, por meio de leasing.

Apesar disso, os dois modelos teriam sido considerados pequenos para servirem em rotas de baixo custo.

Total
14
Shares
Previous Post

Embraer anuncia venda de 30 E195-E2 para a Porter Airlines

Next Post

United Airlines quer operar avião elétrico com 19 lugares a partir de 2026

Related Posts