O programa de testes do MC-21 está sendo conduzido com a utilização de quatro protótipos (UAC)

A supremacia da dupla Airbus A320 e Boeing 737 na categoria dos jatos narrowbody está com os dias contados. O próximo representante nesse nicho da aviação comercial será o jato russo Irkut MC-21, cujas primeiras entregas podem começar em 2021.

Em entrevista ao jornal Vedemosti, o ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, disse o novo avião produzido no país receberá o certificado de tipo das autoridades russas em 2021, permitindo a introdução da aeronave no mercado até o final do próximo ano.

Antes da pandemia do novo coronavírus chegar a Rússia, a Irkut (parte do grupo estatal United Aicraft Corporation) planejava certificar o jato até o final de 2020 e começar as entregas nos primeiros meses do próximo ano.

“O acesso à Rússia está realmente fechado para especialistas estrangeiros durante o período da pandemia. O movimento em todo o país de participantes russos na cooperação também foi prejudicado. Portanto, esperamos obter o certificado de aprovação de tipo russo aproximadamente em meados de 2021 e (certificado) europeu um ano depois. Nesse caso, poderemos enviar o primeiro avião comercial a um operador no final de 2021”, afirmou Manturov.

A validação do certificado de tipo para o motor russo do MC-21 na Europa, emitido pela EASA, está agendada para o final de 2022, disse o ministro. “O motor (Aviadvigatel) PD-14 já possui o certificado de aprovação de tipo russo. A validação de certificado com a EASA está planejada na virada de 2022. Dois aviões serão envolvidos em testes de voo”, observou o ministro. “A conclusão dos testes de voo do MC-21 com o motor PD-14 está prevista para o segundo trimestre de 2022”, acrescentou.

A primeira versão do MC-21 chegará ao mercado com motores fabricados no Ocidente, o Pratt & Whitney PW1400G. Turbofans dessa mesma série são utilizados, por exemplo, nos jatos Airbus A320neo e nos modelos E2 da Embraer.

“Airbus russo”

O primeiro MC-21 foi apresentado na fábrica da Irkut em Irkutsk, na região da Sibéria, em 8 de junho de 2016 e o voo inaugural aconteceu em 28 de maio de 2017, após um atraso considerável no desenvolvimento da aeronave. O plano dos russos, que lançaram o programa em 2006, era ter o avião concluído e certificado em 2012.

O primeiro protótipo do jato russo MC-21 deve decolar somente em 2017 (UAC)

Rollout do MC-21 em 2016: jato russo está entre os mais avançados da categoria narrowbody (UAC)

O MC-21 é concebido para transportar de 163 a 211 passageiros em voos de até 6.000 km. A fabricante tem hoje 174 pedidos firmes pelo novo jato de empresas da Rússia, Azerbaijão e Egito. O primeiro operador do modelo será a Aeroflot, a maior companhia aérea russa.

Além de abastecer o mercado russo, a Irkut também planeja alcançar mercados do Ocidente com o MC-21, por isso oferece a aeronave com motores Pratt & Whitney, um dos maiores fornecedores da aviação comercial, sobretudo nas regiões com maior tráfego, como Estados Unidos e Europa.

A empresa ainda afirma que a nova aeronave apresenta custos de operação até 15% inferiores comparados aos de modelos tradicionais do segmento, fator que pode atrair companhias aéreas de outros países. Além disso, o MC-21 é mais barato que seus concorrentes, com preço estimado em US$ 91 milhões, enquanto um Airbus A320neo passa dos US$ 110 milhões.

A versão MC-21-300 é capaz de transportar até 211 passageiros em classe única (UAC)

Em termos técnicos, o MC-21 é mais parecido com o A320 do que com o 737. Assim como o jato da Airbus, o modelo da Irkut é equipado com comandos de voo computadorizados (fly-by-wire), enquanto o avião da Boeing ainda utiliza controles mecânicos.

O MC-21-300 é o primeiro modelo de uma família de jatos comerciais que pode ter ainda outras duas opções, com tamanhos e desempenhos diferentes. O segundo modelo será o MC-21-200, projetado para embarcar de 132 a 165 passageiros e com autonomia de 6.400 km. Já a terceira variante é o MC-21-400, para até 230 ocupantes e alcance de 5.000 km.

Veja mais: Air France se despede do Airbus A380