Amaro Aviation anuncia aquisição de 12 aeronaves Pilatus, incluindo o jato PC-24

Empresa liderada por um dos filhos do falecido Comandante Rolim realizará investimento de R$ 500 milhões em oito modelos turboélices PC-12 e quatro jatos PC-24
Pilatus PC-24
O Pilatus PC-24 pode operar a partir de pistas não pavimentadas (Pilatus Aircraft)

Em operação no mercado brasileiro de aviação executiva há pouco mais de dois anos, a Amaro Aviation já planeja dobrar o tamanho de sua frota de aeronaves executivas nos próximos anos. A empresa anunciou nesta segunda-feira (14) um investimento de R$ 500 milhões para aquisição de 12 aeronaves da Pilatus Aircraft, sendo oito turboélices PC-12NGX e quatro jatos executivos PC-24.

O acordo é intermediado pelo Synerjet Corp, distribuidora da fabricante suíça na América Latina, que também será cotista das aeronaves, adquirindo 1/8 de cada avião envolvido na negociação.

Segundo a Amaro Aviation, os novos aviões serão incorporados gradualmente no período entre 2023 e 2028. A empresa conta atualmente com 10 aeronaves em serviço, incluindo modelos Pilatus PC-12 e PC-24 e um jato executivo de longo alcance Gulfstream G550.

“A parceria com a Synerjet Corp traz para nós um novo posicionamento no mercado de aviação executiva, além de permitir aos clientes absoluta flexibilidade para operar em diversos aeroportos, onde outros aviões não operam, reduzindo assim o tempo total ao destino”, disse Marcos Amaro, fundador da Amaro Aviation – e filho de Rolim Amaro, fundador da companhia TAM Linhas Aéreas, e que faleceu em acidente em 2001.

O PC-12 pode ser configurado para transportar 9 passageiros ou 2.890 kg de cargas (Divulgação)
O PC-12 pode ser configurado para transportar 9 passageiros ou 2.890 kg de cargas (Divulgação)

Baseada em São Paulo (SP), a Amaro Aviation atua em diferentes frentes negócios na aviação executiva, como a venda de cotas de propriedade compartilhada de aviões e pacotes de assinatura de horas de voo. A empresa ainda presta serviços de gestão de aeronaves e aguarda autorização da ANAC para iniciar os voos de táxi-aéreo.

O PC-12 é conhecido por ser um turboélice executivo monomotor bastante eficiente e que hoje explora o segmento praticamente sozinho. A Cessna, no entanto, está no final da fase de desenvolvimento do Denali, um concorrente direto para o avião suíço.

Já o PC-24 tem se mostrado um jato executivo com vendas surpreendentes. Ele é o único da categoria a ser capaz de operar em pistas despreparadas.

Total
49
Shares
Previous Post
O "Museu Asas de um Sonho" reúne antigas aeronaves utilizadas pela TAM, como o Fooker 27 (Thiago Vinholes)

Acervo do antigo “Museu da TAM” não foi vendido para Helisul, diz criador

Next Post

Low cost do Caribe é a nova cliente do Boeing 737 MAX 8-200

Related Posts