Azul vai trocar motores turboélices por elétricos em seus Cessna Caravan

Divisão Conecta acertou acordo com a startup Surf Air Mobility, dos EUA, para converter monomotores para operarem apenas por baterias, mas não forneceu um prazo para isso ocorrer
Cessna Grand Caravan (Azul)

A Azul Conecta, divisão regional da companhia aérea, anunciou na terça-feira (21) um acordo de colaboração com a startup Surf Air Mobility, dos EUA, para implantar a conversão de turboélices Cessna Caravan para aeronaves totalmente elétricas.

A Surf Air, sediada na Califórnia, pretende estabelecer uma malha de ligações aéreas de curta distância nos Estados Unidos a partir de aeroportos menores e pouco movimentados.

O plano é oferecer voos semi-executivos com preço atrativo e viagens mais rápidas que automóveis e aviões comerciais, nesse caso por conta da burocracia de embarque e desembarque em grandes aeroportos.

A empresa, inclusive, apresenta um exemplo em que uma viagem com seu Caravan elétrico entre San Diego e Los Angeles levaria 1 hora e 30 minutos contra de 2 a 3 horas de carro ou 3 a 3 horas e meia em aeronaves comerciais.

Os Grand Caravan da Surf Air terão motores elétricos (TA)

Além disso, o Caravan com motor elétrico zera a emissão de poluentes e é 50% mais econômico.

A Azul Conecta tem atualmente 27 aeronaves Caravan em sua frota e que operam para mais de 80 destinos no Brasil. No entanto, a empresa não forneceu um prazo para que o programa de conversão seja implantado.

Certificação do Caravan elétrico em 2026

A Surf Air trabalha com a meta de certificar o Caravan elétrico em 2026 e deverá receber os primeiros aviões da Textron em 2024 para então realizar o trabalho de conversão.

A tecnologia está sendo desenvolvida pela própria startup, que também tem um acordo de fornecimento do motor elétrico para a Textron.

Siga o AIRWAY nas redes: Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

Ambas as empresas afirmam que a parceria poderá acelerar o desenvolvimento da tecnologia, mas não explicam como, no entanto.

Até o momento, também não se conhece o estágio em que se encontra o motor elétrico da empresa, que há poucos meses fechou o pedido de seus prmeiros 20 Cessna Caravan de um compromisso total de 150 aeronaves.

Total
0
Shares
1 comments
  1. duvido muito! confiar em uma startup que nunca fez nenhum tipo de conversão em nenhuma aeronave e nem sequer tem uma aeronave experimental comprovando a operacionalidade e segurança da mesma! isso é só mais uma matéria que a azul joga para torcida, mesmo sabendo que não vai acontecer somente para agradar a essa onda ESG que quer barrar o desenvolvimento de Países emergentes!

Comments are closed.

Previous Post

Virgin Atlantic volta a adiar voo entre Londres e São Paulo, agora para 2025

Next Post

Boeing 737 MAX 10 ganha luz verde para início dos voos de certificação

Related Posts
Total
0
Share