Bolsonaro diz que Colômbia tem interesse em novo pedido do Super Tucano

Mas presidente Iván Duque não confirmou intenção de renovar frota da Força Aérea com aeronave da Embraer, preferindo buscar um acordo industrial na setor aeronáutico com o Brasil
A Força Aérea da Colômbia é o segundo maior operador do Super Tucano, depois da FAB (FAC)
A Força Aérea da Colômbia é o segundo maior operador do Super Tucano, depois da FAB (FAC)

Em encontro com o presidente colombiano Iván Duque realizado em Brasília nesta terça-feira (19), Jair Bolsonaro afirmou que a Colômbia tem interesse em adquirir novas aeronaves Super Tucano da Embraer.

“O senhor presidente manifestou seu interesse em renovar sua frota de aviões e treinamento, em especial da família dos Super Tucanos”, disse o presidente brasileiro após a reunião.

O mandatário colombiano, no entanto, não comentou o assunto em suas declarações na sequência da conversa. Em vez disso, Duque disse a jornalistas do seu país ter assinado um acordo de cooperação no setor de aviação. O objetivo é que empresas da Colômbia façam parte da cadeia de produção de aviões da Embraer n o futuro.

Em 2010, a Colômbia manifestou intenção de adquirir 12 jatos cargueiros C-390 (Embraer)

Interesse pelo C-390

A Força Aérea da Colômbia já é um tradicional cliente da Embraer. A divisão de treinamento opera 14 aviões EMB-312 Tucano há vários anos enquanto o país conta com uma frota de 24 aviões de ataque leve A-29 Super Tucano, entregues em 2008.

Em 2020, no entanto, a Colômbia adquiriu oito aeronaves de treinamento avançado T-6C Texan II da Beechcraft e que já começaram a ser entregues. O acordo contou com o apoio financeiro do governo dos EUA e tem a opção para mais oito turboélices.

Outra possível frente de interesse comum entre os dois países é o cargueiro militar C-390. Em 2010, a Colômbia chegou a assinar um acordo de intenção de adquirir 12 aviões junto à Embraer, mas até o momento um contrato não foi formalizado.

A Força Aérea possui atualmente seis C-130 Hercules, além de outros turboélices menores como o CASA C-212.

Total
1
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Lopes
Marcelo Lopes
1 mês atrás

Querem que as empresas da Colombia façam parte da cadeia produtiva de aeronaves da Embraer mas compram aeronaves da concorrente? Nós, vizinhos aqui e eles vão comprar aviões da Beechcraft..

Last edited 1 mês atrás by Marcelo Lopes
Previous Post

Coreia do Sul quer lançar treinador militar elétrico

Next Post

Lufthansa confirma chegada de cinco Boeing 787-9 em 2022

Related Posts