Boom Supersonic - XB-1

O XB-1 antecipa as tecnologias e o design do Overture, que deve chegar ao mercado em 2029 (Divulgação)

Empresa mais avançada na construção do “novo Concorde”, a Boom Supersonic revelou nesta quarta-feira (7) o protótipo XB-1. A aeronave é um demonstrador de tecnologia que será utilizado pela empresa para desenvolver o avião comercial supersônico Overture.

O lançamento da aeronave foi realizado na sede da Boom em Denver, nos EUA, em um evento transmitido pela internet, durante o qual os executivos da fabricante anteciparam os planos de produção e expectativas sobre o XB-1, projetado para voar a Mach 1.3 (1.605 km/h).

“Em velocidades supersônicas, cidades raramente visitadas podem se tornar destinos importantes”, disse o fundador e presidente-executivo da Boom, Blake Scholl. “Começamos a pavimentar o caminho para um futuro supersônico convencional.”

O XB-1 é o primeiro avião proposto para voar acima da velocidade do som projetado de forma independente e sem financiamento governamental. Únicos jatos supersônicos comerciais do passado, o Concorde foi bancado pelos governos do Reino Unido e França, enquanto o Tupolev Tu-144 teve o apoio da antiga União Soviética.

A Boom planeja levantar voo com seu protótipo em 2021. Os testes com o aparelho serão realizados no Mojave Air & Space Port, no estado da Califórnia. De acordo com a empresa, o XB-1 tem um terço da escala proposta para o Overture, que é projetado para transportar entre 55 e 75 passageiros e voar a velocidade máxima de Mach 2.2 (2.716 km/h). Como comparação, o Concorde alcançava “apenas” Mach 2.04 (2.179 km/h) e o Tu-144, Mach 2.15 (2.500 km/h).

O demonstrador de tecnologia da Boom é impulsionado por três motores turbojato com pós-combustores J85-15 da GE Aviation. Versões mais antigas desse motor são usadas, por exemplo, nos caças Northrop F-5 Tiger II, como os operados pela Força Aérea Brasileira. Outro destaque do protótipo é a fuselagem e asas construídas com fibra de carbono, material leve e muito resistente.

Boom Supersonic - XB-1

O protótipo possui três motores J85-15 da GE Aviation, semelhantes aos usados no caça F-5 (Divulgação)

O Overture também deverá ser capaz de voar acima da velocidade do som sem causar as perturbações do “sonic boom” (estrondo sônico), a onda de choque provocada por aeronaves supersônicos e capaz de causar danos estruturais, além do incômodo do alto nível de ruído.

No próximo ano, após decolar com o XB-1, a Boom anunciou que pretende começar os testes em túnel de vento com o Overture e, em 2022, planeja iniciar a construção da fábrica onde o novo avião supersônico será montado. A empresa diz que a versão final da aeronave deve ser apresentada em meados de 2025 e sua certificação e entrada em serviço é programada para 2029.

A fabricante já estipulou um preço para a aeronave supersônica: cerca de US$ 200 milhões por unidade, valor equivalente ao de quatro jatos Embraer E190-E2. O Overture já tem pré-encomendas da Japan Airlines (20 jatos) e do grupo Virgin (10 jatos).

Boom Overture

Concepção artística do Overture: avião poderá voar a mais de 2.700 km/h com até 75 passageiros (Divulgação)

A Boom diz ainda que o Overture será econômico ao ponto de permitir às companhias aéreas vender bilhetes a preços comparáveis aos de tarifas de classe executiva em aviões convencionais, algo que os operadores do Concorde nunca conseguiram oferecer e um dos empecilhos que motivaram sua retirada precoce do mercado em 2003.

Outros nomes na corrida para construir novos aviões comerciais supersônicos são a Aerion e a Spike Aerospace, ambas dos EUA, embora elas estejam focadas em projetos para atender a aviação executiva.

Veja mais: A triste história do único Concorde que virou sucata