Os dois últimos Boeing 747 alinham para decolagem no Heathrow: despedida (BA)

Numa manhã chuvosa e cinza em Londres, como que antecipando o momento triste que estava por vir, a British Airways realizou os últimos voos do Boeing 747 de sua frota. Duas unidades do famoso jato decolaram por volta de 7:47 desta quinta-feira, 08, do Aeroporto de Heathrow para uma passagem a baixa altura antes de seguirem para a aposentadoria.

Para marcar o evento de despedida, após o anúncio da aposentadoria em julho, a companhia aérea escalou os aviões G-CIVB e G-CIVY, que exibem a pintura “Negus”, usada nos anos 70 e 80, e “Chatham Dockyard”, a atual da BA. As decolagens foram transmitidas ao vivo pela empresa em seu perfil no Facebook.

O 747-400 G-CIVB entrou em serviço em fevereiro de 1994 e fez seu último voo comercial em abril, na rota Miami-Londres. Nesse período, esse Jumbo acumulou 13.398 voos e 118.445 horas no ar.

Já o Jumbo G-CIVY é mais recente. Foi entregue pela Boeing em setembro de 1998 e operou 11.034 voos acumulando 90.161 horas de operação. Seu último voo de passageiros ocorreu em 20 de março, vindo de Chicago para a capital britânica, porém, a aeronave foi usada ainda como cargueiro improvisado num voo entre Dallas e Londres em 5 de abril.

Dia difícil na British Airways

Ontem, o CEO da British Airways, Alex Cruz, lamentou o fato: “Amanhã será um dia difícil para todos na British Airways, pois a aeronave deixa nossa casa em Heathrow pela última vez. Prestaremos homenagem a eles pelo papel incrível que desempenharam em nossa história de 100 anos e aos milhões de clientes e colegas da BA que voaram a bordo e cuidaram deles”.

O Jumbo estreou na empresa ainda nos tempos da BOAC, na versão 747-100 em 1971 (BA)

O Boeing 747, embora famoso em várias partes do mundo, teve no Reino Unido uma das suas mais tradicionais e fieis clientes. A relação da British Airways com o Jumbo começou com a antecessora BOAC que estreou o quadrimotor em 14 de abril de 1971, um modelo 747-100. A empresa também operou a versão 747-200, com maior alcance até que a partir de 1989 tornou-se a maior operadora do 747-400, que oferecia maior capacidade de passageiros, alcance e economia de combustível na época.

Boeing 777-9 será o sucessor do 747

A BA chegou a ter 57 jatos 747-400 em sua frota, mas já tinha reduzido o número de aviões para 36 unidades até pouco tempo antes da pandemia do coronavírus.

Com o fim da operação do Jumbo, a British Airways terá o 777, 787 e A350 como principais aviões de longo curso. Seus 12 A380, atualmente aterrados, podem seguir o caminho do 747, mas por ora a empresa ainda diz contar com eles.

O sucessor de fato do 747-400 na companhia aérea será o 777-9, encomendado no ano passado, mas que está com o cronograma de desenvolvimento atrasado. Quase tão capaz quanto o Jumbo, o novo bimotor de passageiros da Boeing promete ser imbatível em economia, porém, depende da retomada da demanda do tráfego aéreo para justificar seu tamanho.

O Boeing 747-400 G-CIVB exibia uma das pinturas clássicas da British Airways (BA)

Veja também: Boeing confirma fim da produção do 747