Caça F-16 deve disputar pedido da Força Aérea Argentina

Aeronave da Lockheed Martin entrará na concorrência que definirá o substituto dos Mirage III, aposentados em 2015, afirma site
Caça F-16 Bloco 50 da Força Aérea dos EUA (USAF)

A concorrência para o novo caça que será utilizado pela Força Aérea Argentina deve contar com mais um competidor, o F-16 Fighting Falcon.

A Lockheed Martin, fabricante do jato supersônico, deve oficializar uma oferta em breve, por meio do governo dos EUA, segundo apurou o site Zona Militar.

A entrada do F-16 na disputa envolveria o interesse norte-americano em reduzir a influência chinesa e russa na América do Sul. O principal candidato a substituir os caças Dassault Mirage III, aposentados em 2015, é o jato JF-17 Thunder, projeto conjunto da chinesa Chengdu e a PAC, do Paquistão.

Além do Thunder, participam da concorrência a UAC, com o MiG-35, e a HAL, com o caça Tejas, entre outros.

Os Mirage III operaram até 2015 (Chris Lofting/CC)

A Força Aérea Argentina teria inclusive delimitado seu interesse à variante F-16 Bloco 50, mais avançada, descartando versões anteriores.

O modelo Bloco 50 é equipado com o motor F110-GE-129, mais leve e potente, e que usado pelo Fighting Falcon desde os anos 90. Ele possui um radar AESA AN/APG-80 e pode disparar mísseis ar-ar AIM-120 AMRAAM, ar-terra AGM-56G Maverick, além de bombas, mísseis anti-navio e munição JDAM, entre outros.

O F-16 é operado no continente pelo Chile, que possui 46 caças das versões A, B, C e D, e a Venezuela, que teria 20 jatos F-16A/B fornecidos antes de o país se aproximar da Rússia.

O governo argentino deve anunciar o vencedor da concorrência no início de 2022.

Total
106
Shares
Previous Post

Após 18 meses em concordata, LATAM apresenta plano de reorganização financeira

Next Post

Ícone da Guerra das Malvinas, até quando o Harrier continuará voando?

Related Posts