Carro voador Transition tem decolagem autorizada nos EUA

Misto de automóvel com avião, Terrafugia Transition recebeu o certificado de Special LSA da agência de aviação dos EUA
(Terrafugia)

A Terrafugia, empresa dos EUA que produz o carro voador Transition, atingiu um importante marco nesta semana ao obter um certificado de aeronavegabilidade para seu misto de automóvel com avião. O veículo foi homologado pela agência de aviação civil dos EUA (FAA) na categoria “Special Light-Sport Aircraft” (Special LSA).

Como explica o fabricante, o carro-avião é projetado para atender os padrões de segurança da FAA e da Administração Nacional de Segurança Rodoviária e Tráfego (NHTSA) dos EUA, órgão equivalente ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) do Brasil.

O veículo que recebeu o certificado da FAA é autorizado apenas para voo, explica o fabricante. Portanto, é um carro voador autorizado a voar, mas ainda sem permissão do NHTSA para rodar em ruas e estradas dos EUA. Ele ainda não foi equipado com airbags e controle eletrônico de estabilidade (ESP), itens de segurança obrigatórios nos EUA.

A categoria Special LSA da agência americana é equivalente a classe “ALE especial” (Aviões Leves Esportivos especial) da ANAC no Brasil. É uma categoria (tanto nos EUA como no Brasil) acima da aviação experimental “raiz” (a categoria ALE Experimental), com aviões que podem ser montados e modificados pelos próprios operadores.

Pela definição da agência brasileira, a categoria ALE especial compreende aeronaves que devem ser entregue ao operador totalmente prontas e configuradas para o uso. A manutenção deve ser executada sempre por empresas certificadas ou mecânicos habilitados, e o modelo não pode ser modificado sem aprovação do fabricante ou da autoridade de aviação civil.

A fabricante diz que o modelo certificado representa uma versão inicial do Transition e que mais evoluções devem ser incorporadas no projeto. A empresa espera ter o carro voador totalmente certificado para voar e rodar em estradas em 2022.

“Estamos entusiasmados por ter atingido nossa meta de um certificado de aeronavegabilidade para a versão inicial”, disse Kevin Colburn, vice-presidente e gerente geral da Terrafugia. “Durante um ano pandêmico extremamente desafiador, nossa equipe permaneceu focada e melhorou nosso sistema de qualidade, concluiu os aspectos críticos do projeto, construiu o veículo, completou 80 dias de testes de voo, entregou 150 documentos técnicos e passou com sucesso na auditoria da FAA. Esta é uma grande conquista que cria ímpeto na execução de nossa missão de entregar o primeiro carro voador prático do mundo.”

Sonho antigo

O que a Transition chama de “versão inicial” do Transition na verdade já é a terceira versão do carro voador criado pela empresa americana. A primeira versão do veículo voou em 5 de março de 2009.

Passados mais de 10 anos, o Transition mudou bastante e hoje provou que obedece os requisitos para voar. O modelo atual é impulsionado pelo motor a pistão Rotax 912iS de 100 cavalos de potência e ele tem recursos de proteção como a gaiola de fibra de carbono no cockpit, paraquedas de segurança e freios a disco com ABS nas quatro rodas.

Na esquerda, a primeira versão do Transition, testado em 2009; ao lado, o modelo atual (Terrafugia)
Na esquerda, a primeira versão do Transition, testado em 2009; ao lado, o modelo atual já bastante modificado (Terrafugia)

Na estrada, o Transition pode atingir até 110 km/h. Voando, ele alcança até 160 km/h e tem autonomia de 645 km, segundo o fabricante.

Quando operado como um carro, a força do motor é transferida para uma transmissão automática CVT. Para voar, a propulsão é transferida para a hélice impulsora (pusher) e um mecanismo eletro-hidráulico desdobra as asas (e depois dobra novamente).

O preço do Transition é estimado entre US$ 300 mil (cerca de R$ 1,6 milhão) e US$ 400 mil (R$ 2,1 milhões). Nos EUA, com esse valor é possível comprar um avião monomotor de pequeno porte ou mesmo um automóvel de alto luxo. Qual você compraria?

Veja mais: Após dois anos, Gol volta a receber um Boeing 737 MAX

Total
259
Shares
1 comment
  1. Se, com carro comum, o povo consegue causar acidentes impossiveis, imagine com um carro que voa. Veiculo aéreo tem que ser autonomo, ou o mais autonomo possivel. As chances disso dar merda são grandes.

Comments are closed.

Previous Post
O Boeing 737 MAX "PR-XMM" da Gol estava estocado nos EUA desde 2019 (Gol)

Após dois anos, Gol volta a receber um 737 MAX

Next Post
Airbus A330 MRTT

Governo brasileiro diz que comprará dois A330 para a FAB

Related Posts