O Antonov AN-178 pode voar a velocidade máxima de 825 km/h a 12.000 metros de altitude (Foto - Antonov)

O protótipo do An-178 fez seu primeiro voo em 7 de maio de 2015, três meses depois do Embraer C-390 (Antonov)

A fabricante ucraniana Antonov iniciou nesta semana a produção do primeiro cargueiro militar An-178 de série. O operador de lançamento da aeronave será a força aérea do Peru, que encomendou uma única unidade. A data de entrega do avião ainda não foi definida.

Em comunicado, a Antonov diz a montagem geral da fuselagem do An-178 está em andamento e outras partes já estão concluídas, como o nariz, estruturas transversais, parte central da asa, entre outros. Os suportes dos motores também estão prontos para serem instalados na aeronave.

O An-178 destinado ao Peru será configurado para transportar pessoal militar (100 pessoas), passageiros (80 ocupantes), cargas (até 18 toneladas) e evacuação médica (com espaço para até 40 macas).

“Nas condições de quarentena, na medida do possível, mantemos a operação de locais de produção separados para continuar a montagem da aeronave de acordo com o contrato internacional. Continuamos a produzir algumas peças e componentes individuais. Apesar da quarentena nos forçar a ajustar nosso plano de produção, continuamos um trabalho ininterrupto em questões logísticas e financeiras, que também é um componente importante de qualquer grande acordo internacional”, afirmou Oleksandr Donets, presidente da Antonov Company.

O An-178 é montado na fábrica da Antonov em Kiev, capital da Ucrânia (Antonov)

No total, 25 empresas da Ucrânia e outros 30 fornecedores da Europa e EUA estão envolvidos na cadeia de suprimentos do An-178. Antes presentes no programa, instituições da Rússia foram excluídas do grupo em 2018 após desavenças com Kiev devido à anexação da Crimeia pelo lado russo, em 2014.

Concorrente do Embraer C-390 Millennium

O Antonov An-178 e o Embraer C-390 Millennium são aviões com propósitos praticamente iguais e equivalentes, servindo principalmente para missões de transporte logístico. O modelo brasileiro ainda tem capacidade para reabastecer outras aeronaves em voo, recurso que ainda não foi proposto ao avião ucraniano. Em comum, ambos são uma alternativa mais ágil e avançada ao turboélice Lockheed Martin C-130 Hércules.

Compare o An-178 com o KC-390, da Embraer


As duas aeronaves apresentam dimensões praticamente idênticas – 33 metros de comprimento para o An-178 e 33,9 m para o C-390; envergadura de 30,57 m para o Antonov, contra 35 m do Embraer; e altura de 9,5 m para o avião ucraniano, ante 11,8 m para o brasileiro –, com vantagem para o Embraer no peso máximo de descolagem (86,9 toneladas contra 52,4 ton) e na capacidade de carga (23 ton contra 18 ton).

O Antonov pode voar a altitude máxima de 12.200 metros, contra os 11.000 m do modelo brasileiro, e também pode transportar mais soldados (90 contra 80) e paraquedistas (70 contra 64). O C-390, por outro lado, é mais rápido: 870 km/h contra 825 km/h do An-178, e tem alcance de 2.560 km com a carga máxima, frente aos 2.500 km do concorrente ucraniano na mesma situação.

Diferentemente do cargueiro da Embraer, um projeto 100% original, o novo avião militar da Antonov é uma versão militarizada do jato regional An-158, lançado no final da última década. O valor do novo jato em produção na Ucrânia é estimado entre US$ 40 milhões e US$ 70 milhões, enquanto um C-390 tem custo unitário em torno de US$ 85 milhões.

Veja mais: Antonov quer formar joint venture com a Boeing