De Havilland pode suspender a produção do turboélice Dash 8

Sem pedidos adicionais, fabricante canadense deve suspender a produção do turboélice após cumprir a carteira de pedidos atual
Era Bombardier Q400, agora é De Havilland Canada Dash 8-400
Era Bombardier Q400, agora é De Havilland Canada Dash 8-400 (Divulgação)

Renascida em 2019, a fabricante De Havilland Canada (DHC) está se preparando para suspender a produção do turboélice comercial Dash 8, aeronave que até pouco tempo era chamada pelo nome Q400 da Bombardier.

A empresa canadense pretende pausar a linha de montagem do avião neste ano, depois de construir e entregar os 17 aparelhos que ainda tem encomendado, a não ser que receba novos pedidos, de acordo com o Leeham News.

A publicação diz que a DHC já notificou seus fornecedores para frear o envio de componentes para novos aviões. O texto cita ainda que a ação é uma tentativa de evitar a construção de aeronaves “whitetail” (cauda branca) – aviões que são concluídos, mas não são vendidos a nenhum cliente.

Em resposta ao Simple Flying, a DHC confirmou o plano de suspender da produção do turboélice “ao mesmo tempo em que tomamos as medidas adequadas para proteger nosso pessoal e nossos negócios”, acrescentando que o Dash 8 continua à venda. A empresa, no entanto, não informou por quanto tempo a linha de montagem da aeronave deve ficar parada.

Outro ponto que coloca o futuro do Dash 8 em xeque é a incerteza sobre a manutenção da fábrica da aeronave, em Toronto, no Canadá. A instalação pertence à Bombardier, que por sua vez aluga o espaço para a De Havilland. O contrato de arrendamento do local expira em 2023.

Uma forma de contornar essa situação é transferir a linha de montagem do Dash 8 para a sede oficial da DHC, em Victoria, a cerca de 3.400 km de distância de Toronto. A empresa ainda não comentou sobre essa possibilidade.

O retorno da DHC

Uma das fabricantes aeronáuticas mais tradicionais do mundo, a De Havilland Canada foi restituída em 2019 após o grupo canadense Longview Aircraft Capital comprar o programa QSeries da Bombardier por US$ 300 milhões.

O primeiro Dash 8-100 foi entregue em 1984 a extinta NorOntair, do Canadá (Alain Rioux)
O primeiro Dash 8-100 foi entregue em 1984 a extinta NorOntair, do Canadá (Alain Rioux)

Com a mudança de comando, o então Q400 foi renomeado como “Dash 8-400”, seguindo a ordem natural da família Dash 8 original, que teve as versões -100, -200 e -300. O turboélice comercial foi lançado em 1983 pela De Havilland Canada, fabricante que posteriormente foi privatizada e adquirida pela Boeing, em 1986, e depois, em 1992, pela Bombardier, que extinguiu o nome DHC e mudou o nome do programa para QSeries.

A Longview Aircraft Capital tem uma longa associação com a Bombardier e a De Havilland Canada. Em 2005 e 2006, a Viking Air, uma das marcas do grupo canadense, adquiriu todo o antigo portfólio de aeronaves da DHC fora de produção, desde o DHC-1 Chipmunk até o DHC-7 Dash 7. Em 2007, a empresa reiniciou a produção do DHC-6 Twin Otter, com a série -400 atualizada.

Veja mais: Virgin Orbit lança primeiro foguete a partir de um Boeing 747

Total
18
Shares
1 comment
  1. E ainda tiveram idiotas fazendo besteiras com a nossa EMBRAER.
    Os apavorados de plantão meteram os pés pelas mãos e fizeram um acordo, no mínimo absurdo, mas ainda bem que acordaram em tempo.
    Agora vemos grandes empresas fechando e por causa do mercado doido instalado no mundo todo e isso é bom para a nossa fábrica de aviões, uma vez que temos produtos melhores, mais baratos e bem mais confiáveis.

Comments are closed.

Previous Post

Jato russo MC-21 sofre excursão de pista durante teste

Next Post

Novo bombardeiro B-21 Raider deve voar apenas em 2022

Related Posts