Fim dos caças: Elon Musk aposta em aviões de combate controlados com ajuda de inteligência artificial (USAF)

Discursando para uma multidão de pilotos de caça da Força Aérea dos EUA (EUA), o intrépido empresário Elon Musk declarou que a era dos aviões de combate tripulados acabou.

“A era dos aviões de caça já passou”, disse o fundador da SpaceX e Tesla Motors, entre outros empreendimentos na área de tecnologia, durante a conferência da Air War Association da USAF em Orlando, na Flórida, nesta sexta-feira (28).

Os comentários de Musk vão ao encontro das ideias do general James Michael Holmes, diretor do Comando de Combate Aéreo da USAF. O militar afirmou nesta semana que a força aérea norte-americana pode considerar a substituição de caças tripulados por veículos aéreos não tripulados (drones), como o XQ-58A Valkyrie, nos próximos cinco a oito anos, à medida que os modelos Lockheed Martin F-16 forem retirados de serviço.

Embora os drones não sejam uma novidade, os rápidos avanços em sistemas de inteligência artificial (IA) estão inspirando o alto comando da USAF – e Elon Musk – a considerar essa opção.

“O que nos preocupa no Comando de Combate Aéreo não é necessariamente se será um caça tripulado, mas como forneceremos as capacidades que a força depende de nós para executar?” disse Holmes, questionado pelo Flight Global.

O general da USAF afirmou que sistemas IA podem ajudar na implantação de um grande número de aeronaves não tripuladas sem sobrecarregar os operadores ou correr o risco de perder o controle dos drones por interferências eletrônicas de uma força inimiga.

Musk já alertou em anos anteriores sobre os perigos de máquinas e software com inteligência artificial e prevê um cenário apocalíptico no estilo da franquia “Exterminador do Futuro” caso a tecnologia saia de controle. Apesar desse temor, ele é um financiador ativo de startups de IA, incluindo a empresa de pesquisa OpenAI e a Neuralink, que está desenvolvendo implantes eletrônicos para cérebros humanos.

“Para o domínio aéreo, as coisas definitivamente vão caminhar para a guerra autônoma. Não se trata de ‘quero que o futuro seja assim’. É assim que vai ser no futuro”, profetizou Musk. Será que ele está certo?

Veja mais: Caça F-5 completa 45 anos de operações com a Força Aérea Brasileira