Embraer já está convertendo segundo E190F cargueiro

Fabricante brasileira deve entregar primeira aeronave de carga em 2024. Modelo E195F em breve também será convertido
Primeiro jato cargueiro E190F
Primeiro jato cargueiro E190F (Embraer)

O programa P2F (Passenger to Freighter), da Embraer, está em ritmo acelerado. Lançado no início de 2022, o projeto oferece uma conversão de modelos E190 e E195 para transporte de cargas.

A Embraer recebeu o primeiro jato originalmente configurado para levar passageiros em fevereiro. A aeronave foi revelada recentemente e deve iniciar os voos de certificação em breve.

Embora a companhia não tenha revelado qual a origem do primeiro E190 a passar pelo processo de conversão, ADN apurou se tratar do avião com número de série 19000360, que foi originalmente entregue para a TACA Airlines em 2010.

A aeronave operou até maio de 2019 com a matrícula dos EUA N986TA, quando foi desativada e armazenada no Aeroporto Middle Georgia Regional, onde a Embraer possui instalações de manutenção.

Aeronave será voltado a entregas expressas (Embraer)

Em fevereiro, o jato voou para São José dos Campos, sede da empresa, para ser convertido para cargueiro.

O primeiro E190F está registrado em nome do Bank of Utah Trustee, mas acredita-se que faça parte do inventário à Nordic Aviation Capital (NAC), primeira cliente da aeronave cargueira.

Em postagem em suas mídias sociais, a Embraer revelou que já trabalha na conversão de um segundo E190 e que em breve receberá um E195, que oferecerá maior capacidade de carga.

O jato E190F antes de ser convertido para cargueiro (Venkat Mangudi)

O E190F poderá transportar até 13.150 kg e o E195F, até 14.300 kg de carga útil máxima. Nos voos de comércio eletrônico, cuja densidade é menor, os dois aviões terão capacidade para movimentar carga útil de 10.700 kg (E190F) e 12.300 kg (E195F).

Siga o AIRWAY nas redes: Facebook | LinkedIn | Youtube | Instagram | Twitter

O primeiro operador do E190F será a companhia aérea Astral Aviation, do Quênia, que arrendou duas aeronaves da NAC e os receberá a partir de 2024.

Total
0
Shares
1 comment
  1. Entrar no mercado de cargas ajuda a Embraer a diversificar seu portfólio, ainda mais nesse segmento onde, atualmente, não há concorrentes à altura de ambos os modelos. Mudando o foco da matéria, dias atrás li uma reportagem de que uma empresa estaria preparando o lançamento de uma nova aeronave na faixa dos 70 lugares e que estaria em negociações com os fabricantes de motores a respeito de uma propulsão mais eficiente do que os motores atuais. A Airway tem alguma informação a respeito? Pergunto porque gostaria de saber qual o posicionamento atual da Embraer a respeito devido o “congelamento” do projeto do avião de 90 lugares.

Comments are closed.

Previous Post

Boeing tem novembro forte em entregas e pode atingir meta para 2023

Next Post

Reino Unido, Itália e Japão assinam tratado para desenvolver caça de 6ª geração

Related Posts
Total
0
Share