Frota da Azul Conecta é composta por 17 turboélices Cessna Caravan (Markus Eigenheer – Wikimedia Commons)

A Azul Linhas Aéreas marcou para a próxima terça-feira, dia 11 de agosto, o lançamento oficial de sua nova subsidiária, a Azul Conecta, no aeroporto de Jundiaí (SP). A nova empresa focada em aviação regional foi formada a partir da compra da Two Flex, concluída pela Azul no final de abril por R$ 123 milhões.

“A nova subsidiária da companhia tem como objetivo desenvolver a aviação regional no Brasil, alcançando cidades e comunidades menores e conectando as regiões à malha de voos domésticos e internacionais da Azul”, informou a Azul, que agora pode ser considerada um “grupo” de companhias aéreas. Outra divisão da empresa é a Azul Cargo.

A Azul Conecta continuará atendendo a mesma malha de voos criada pela Two Flex, atuando em 36 destinos no país. A frota da companhia regional é composta por 17 aeronaves Cessna Gran Caravan, monomotor turboélice com capacidade para até nove passageiros.

Presente no mercado desde 2013, a Two Flex (criada a partir da fusão entre as empresas de táxi-aéreo Two Aviation e Flex Aero) ganhou maior notoriedade no ano passado quando solicitou o uso de slots no aeroporto de Congonhas que pertenciam à Avianca Brasil. Entre os voos lançados pela empresa no terminal paulistano (operados na pista auxiliar de Congonhas), o de maior destaque é a “Ponte Barra” com destino ao aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Com sede em Jundiaí (SP), a nova filial da Azul opera um modelo de negócios conhecido na aviação como Essential Air Services (Serviços Aéreos Essenciais), no qual aeroportos de pequenas cidades ou terminais alternativos são conectados com grandes centros.

Antes da fusão com a Azul, a Two Flex mantinha um acordo de interline com a Gol, parceria que foi encerrada após a venda da empresa.

Veja mais: Gol e Azul mostraram recuperação na demanda de passageiros em julho