Frota mundial de Super Tucanos alcança 500 mil horas de voo

Com mais de 260 unidades entregues, turboélice de ataque leve e treinamento da Embraer foi selecionado por mais de 15 forças aéreas pelo mundo
Embraer Super Tucano
O Super Tucano entrou em serviço com a FAB em 2003 (FAB)

A Embraer anunciou nesta quarta-feira (6), durante a edição 2022 da FIDAE, no Chile, um feito expressivo na carreira do avião de ataque A-29 Super Tucano. A frota mundial da aeronave militar projetada no Brasil alcançou a marca de 500 mil horas de voo.

Segundo o fabricante, mais de 260 exemplares do Super Tucano foram entregues desde 2003. Além da Força Aérea Brasileira (FAB), que foi o primeiro cliente da aeronave, o A-29 também é operado atualmente pelas forças aéreas dos Estados Unidos, Angola, Burkina Faso, Chile, Colômbia, República Dominicana, Equador, Indonésia, Líbano, Mali, Mauritânia, Nigéria e Filipinas.

“Estamos muito felizes de poder compartilhar este importante marco com a Força Aérea do Chile, nosso cliente de longa da data”, disse Bosco Costa Junior, diretor comercial da Embraer Defesa e Segurança. “Além das 500 mil horas de voo, o A-29 acumula também mais de 60 mil horas em combate. De fato, é a única plataforma turboélice de ataque leve, reconhecimento e treinamento avançado atualmente em produção com atuação comprovada em combate em conflitos ao redor do mundo.”

O Super Tucano é fruto de um projeto derivado do EMB-312 Tucano iniciado pela Embraer na década de 1990 para atender uma demanda da FAB, que pedia um vetor com baixos custos operacionais capaz de executar uma série de missões, como ataque leve, vigilância, operações contra-insurgência e até interceptação de aeronaves de baixa performance. Não só isso, o avião deveria ser robusto e versátil, podendo operar a partir de pistas remotas e não pavimentadas em ambientes hostis e com pouco suporte.

O Embraer A-29 Super Tucano lança uma bomba guiada a laser em avaliação do programa OA-X (USAF)
O Embraer A-29 Super Tucano lança uma bomba guiada a laser em avaliação do programa OA-X da força aérea dos EUA (USAF)

Ao longo dos anos, o Super Tucano ampliou seu currículo ao acumular a função de avião de treinamento avançado. A FAB, por exemplo, usa o modelo na preparação de seus pilotos de caças supersônicos, como os F-5M e o novo F-39 Gripen.

A despeito do visual simples e desempenho modesto, o Super Tucano é considerada a melhor aeronave de sua categoria. Tal como um caça a jato, o turboélice militar da Embraer conta com recursos avançados, como sistema eletro-óptico/infravermelho com designador de laser, óculos de visão noturna, comunicações seguras de voz e dados. O avião também pode ser armado com mísseis ar-ar orientados por calor e bombas guiadas a laser.

Posicionado como um dos principais produtos da área de defesa da Embraer, o Super Tucano deve permanecer em produção ainda por muitos anos. Há atualmente poucos modelos especializados como ele e quase nenhum com tamanha confiabilidade. Sua plataforma, inclusive, poderia receber novos sistemas e equipamentos para mantê-lo relevante no mercado se assim a empresa brasileira desejar. Um grande mérito da engenharia aeronáutica brasileira que promete continuar sua história por um longo período.

Nota do editor: Após o retorno do grupo extremista Talibã ao poder no Afeganistão, os Super Tucanos da força aérea do país têm seu futuro incerto e provavelmente estão fora de serviço. Há também rumores de que o avião de ataque da Embraer é operado pela força aérea do Turcomenistão, embora nenhuma das partes confirme. 

Total
34
Shares
Previous Post

FAB confirma compra de dois Airbus A330 da Azul por US$ 80,6 milhões

Next Post

Primeiros caças Gripen de série da FAB decolam de Navegantes rumo a Gavião Peixoto

Related Posts
Total
34
Share