Icelandair estreia nova pintura nos moldes da Transbrasil

Companhia aérea de bandeira da Islândia trocou esquema em tons de azul e amarelo para adotar um layout com múltiplas cores, como nos tempos da saudosa empresa aérea brasileira
Três das cinco cores que serão usadas pela Icelandair em seus aviões (Icelandair)

A Icelandair, companhia aérea de bandeira da Islândia, estreou seu nova pintura na última sexta-feira, dia 28 de janeiro. Um dos Boeing 737 MAX 8 da sua frota voou de Norwich, Inglaterra, onde recebeu o novo esquema de cores, para Reikjavik, capital do país.

É a primeira vez que a empresa altera a identidade visual de seus aviões desde 2006. A nova pintura, com a inscrição ‘Icelandair” em letras grandes azuis na fuselagem, é marcada pela utilização de cinco cores diferentes na cauda (azul boreal, magenta, azul céu, amarelo e verde), representando fenômenos diferentes do país como a famosa aurora boreal.

A Icelandair explicou a razões das sete cores (incluindo o azul e branco padrão):

  • O azul da meia-noite é a nossa cor de herança e o pano de fundo para as auroras dançantes.
  • A neve branca representa nossas geleiras.
  • O azul boreal é uma representação das luzes do norte.
  • O magenta significa o poder criativo coletivo da Islândia, com apenas um toque do nascer do sol.
  • O azul nítido é o céu de verão islandês que está cheio de luz.
  • O amarelo dourado é o sol refletido em cachoeiras, geleiras e até magma fervente.
  • O verde representa a vida que pode ser encontrada mesmo após os eventos mais difíceis
O primeiro 737 MAX com a nova pintura chegou ao país no dia 28 (Icelandair)

Sediada em Keflavik, a Icelandair possui 42 aeronaves em sua frota, sendo 23 Boeing 757, 10 737 MAX, quatro 767-300 e cinco turboélices Dash 8.

O plano inicial é que cinco 737 MAX 8 passem a contar com a nova pintura até o final de fevereiro, substituindo o atual layout, com naceles dos motores em amarelo e a cauda azul.

Lembranças da Transbrasil

A adoção de um layout de múltiplas cores remete à consagrada pintura usada pela saudosa Transbrasil durante muitos anos.

Boeing 727-100 da Transbrasil com a pintura do arco-íris e asas na cor verde (Pedro Aragão/Wikimedia)

Após um período em que seus aviões eram pintados com esquemas bastante diferentes, inpirados na americana Braniff, a empresa aérea fundada por Omar Fontana passou a contar com um visual que trazia o arco-íris na cauda enquanto as asas ganhavam tonalidades diferentes a partir de 1978.

Mais tarde, a companhia deixou a ideia de lado para padronizar o azul na inscrição na fuselagem enquanto as asas permaneciam sem uma cor dominante. Já perto do fim, a Transbrasil estreou o que seria seu último layout, com o arco-íris aplicado num fundo azul, em 1998, três anos antes de falir.

Total
10
Shares
Previous Post

Os curiosos projetos de aeronaves patenteadas pela Embraer nos EUA

Next Post

FAB está próxima de acordo com Embraer para reduzir encomenda do KC-390

Related Posts
Total
10
Share