Inédito turboélice de passageiros da Embraer pode ser lançado em 2022

Segundo Arjan Meijer, CEO da divisão de aviação comercial da empresa, entrada em serviço da nova aeronave poderia ocorrer a partir de 2027
Concepção artística do novo turboélice de passageiros da Embraer (Embraer)
Concepção artística do novo turboélice de passageiros da Embraer (Embraer)

A Embraer está cada vez mais decidida a apostar no mercado de turboélices de passageiros como seu principal negócio na aviação comercial. Durante entrevista no evento de entrega do primeiro E195-E2 para a Helvetic Airways nesta quarta-feira, 23, Arjan Meijer, CEO da Embraer Commercial Aviation, afirmou que espera lançar o inédito modelo no ano que vem.

“A Embraer ainda está muito focada no segmento. Ainda estamos trabalhando num turboélice e esperamos lançar o programa em 2022”, disse durante o webinar. Meijer prevê que a nova aeronave poderá entrar em serviço entre 2027 e 2028.

Para isso, no entanto, a fabricante brasileira pretende encontrar parceiros que ajudem a dividir o alto custo de desenvolvimento e diz que há várias conversas nesse sentido. A aeronave será maior do que os turboélices regionais mais populares do mercado como o ATR 72 e o Dash 8, com capacidade entre 70 e 100 assentos, e deve aproveitar parte do projeto da família E-Jet.

Segundo Meijer, a seção transversal da fuselagem será semelhante aos jatos E1 e E2, o que se traduziria num espaço interno bem superior aos concorrentes.

Novo turboélice deve aproveitar a seção transversal dos E-Jets (Embraer)

Silencioso

A confiança do executivo reside no fato de que os turboélices podem se transformar na plataforma ideal para novas tecnologias de propulsão em início de desenvolvimento, como um híbrido-elétrico ou movido a hidrogênio – aposta que a Airbus faz, incluindo um modelo parecido com o ATR.

Em declarações anteriores, a empresa revelou que o avião poderá ser lançado com uma propulsão convencional, mas ser preparado para possíveis mudanças de tecnologias. Ponto-chave, no entanto, é que o bimotor precisará oferecer um nível de ruído e vibração baixos a fim de eliminar um dos pontos considerados negativos para alguns passageiros.

Arjan Meijer: esperança de lançar novo avião em 2022 (Embraer)

Arjan garante que a aeronave oferecerá “melhor desempenho, com melhor desempenho de custo, níveis de ruído muito mais baixos”.

Na pesquisa anual em que faz suas previsões de demanda, a Embraer apontou a necessidade de 1.080 novos turboélices até 2029. A maior parte dessas aeronaves serão compradas por empresas da China e Ásia-Pacífico (490 unidades) e Europa (190). A lista continua pela ordem com América Latina (130), África (80), America do Norte (80), CIS (80) e Oriente Médio (30).

A fabricante afirmou que 75% dessa nova safra de jatos regionais e turboélices servirão para substituir jatos mais antigos e outros 25% na ampliação de frotas acompanhando o crescimento do mercado, que na visão da empresa deve retornar aos níveis de antes da pandemia somente em 2024.

Total
87
Shares
Previous Post

Boeing vai fornecer 14 novos helicópteros Chinook para a RAF

Next Post

Quase 36 anos depois, Congonhas voltará a ser aeroporto internacional

Related Posts
Total
87
Share