Jato MC-21 com asas “Made in Russia” voa pela primeira vez

Produzidas pela empresa AeroComposite, estruturas do novo jato comercial da Irkut utilizam um processo de fabricação por infusão a vácuo que seria mais vantajoso que a tecnologia tradicional
O MC-21 com o primeiro conjunto de asas em material composto produzidas na Rússia (UAC)

Mais avançado jato comercial desenvolvido na Rússia, o MC-21-300 decolou neste sábado (25) do campo de aviação da Irkut pela primeira vez construído com um conjunto de asas em material composto produzidas no país.

A aeronave de prefixo73361 está equipada com turbofans PW1400G, fornecidos pela Pratt & Whitney, mas que serão substituídos no futuro pelo motor russo PD-14 por conta de sanções do Ocidente.

As novas estruturas em material composto também são reflexo da substituição de componentes antes enviados por empresas europeias e dos EUA, cujos governos barraram o fornecimento à Rússia como retaliação por ações políticas do governo Putin.

“O primeiro voo de uma aeronave com asa feita de compósitos russos prova que fizemos tudo certo, o programa MC-21 está avançando de forma consistente e constante, apesar das sanções e da concorrência desleal. Este é o resultado do desenvolvimento das competências da indústria da aviação e das indústrias relacionadas e do apoio governamental sem precedentes,” disse Denis Manturov, Ministro da Indústria e Comércio da Federação Russa.

As asas e seção central da fuselagem do MC-21 foram fornecidas pela AeroComposite em substituição à componentes ocidentais

As asas do MC-21 são fabricadas pela AeroComposite, uma empresa russa sediada no extremo leste do país. Elas foram manufaturadas por uma nova técnica de infusão a vácuo que, segundo a UAC (holding que controla a Irkut) possui uma qualidade superior à tecnologia de autoclave, além de ter um custo de produção mais baixo.

A UAC disse ainda que existem outros dois MC-21 em produção já com asas produzidas no país, além de um terceiro conjunto estar prestes a ser finalizado.

A participação de materiais compostos na estrutura do novo jato de passageiros russo é de 40%, de acordo com a Rostec, a gigante estatal de tecnologia, que alega ser uma porcentagem recorde numa aeronave de médio alcance.

A certificação russa do MC-21-300 é aguardada para as próximas semanas, e a entrega do primeiro jato para a Rossiya Airlines, em setembro de 2022. A UAC planeja homologar o avião junto às autoridades ocidentais nos próximos anos.

Total
10
Shares
Previous Post

Itapemirim se aproximava de desempenho próximo das grandes companhias antes de parar de voar

Next Post

Com E175-E2 atrasado, Embraer pode explorar mercado de cargueiros

Related Posts
Total
10
Share