Marinha afunda corveta desativada em teste com mísseis

Operação MISSILEX 2016 envolveu o lançamento dos mísseis anti-navio Exocet e Penguim
A Marinha usou como alvo a corveta Frontin, já desativada e preparada para o exercício (Marinha do Brasil)
A Marinha usou como alvo a corveta Frontin, já desativada e preparada para o exercício (Marinha do Brasil)
A Marinha usou como alvo a corveta Frontin, já desativada e preparada para o exercício (Marinha do Brasil)
A Marinha usou como alvo a ex-corveta, já desativada e preparada para o exercício (Marinha do Brasil)

“Impacto no alvo, câmbio”, informou o comandante do helicóptero SH-16 Seahawk da Marinha do Brasil, após um espetacular teste com um míssil anti-navio Penguim que danificou seriamente uma embarcação militar desativada. A marinha divulgou nessa quinta-feira (28) um vídeo com as ações da Operação MISSILEX 2016, realizada entre os dias 11 e 20 deste mês, na região marítima do Rio de Janeiro e Espírito Santo. O exercício também envolveu o lançamento de um míssil Exocet a partir da fragata União (F45), contra o mesmo alvo, uma corveta da classe Frontin.

O míssil Penguim é uma arma do tipo “ar-mar” ou “mar-mar”: pode ser lançado a partir de helicópteros, aviões ou embarcações. O artefato pesa 385 kg, sendo até 130 kg de explosivos, e persegue o alvo orientado por radar, sensor de infravermelho e um sistema de mira laser, instalados no próprio míssil, que explode assim que toca o alvo.

O Penguim foi desenvolvido pela Kongsberg Defence & Aerospace, uma empresa de material bélico da Noruega. Além da Marinha do Brasil, o equipamento também é utilizados pelas forças armadas de países como Estados Unidos, Suécia e Turquia. As primeiras versões do míssil norueguês entraram em serviço em 1972.

Já o Exocet é um míssil que quase dispensa apresentação. Considerado uma das armas mais letais contra embarcações, o armamento desenvolvido pela empresa francesa MBDA também é parcialmente fabricado no Brasil, em parceria entre a Avibras e Mectron. O artefato pode ser disparado a partir de helicópteros, aviões, embarcações e até de submarinos – o Brasil opera as versões que podem ser lançadas de helicópteros e navios.

Enquanto o Penguim causa sérios danos a uma grande ou média embarcação, mas não a ponto de afundá-la, o Exocet pode ser interpretado como a ação final. Maior e mais pesado, o míssil de origem francesa é guiado pelo radar de seu vetor de lançamento (no caso do navio ou do helicóptero) e na parte final do trajeto entra no modo automático e explode ao contato com o alvo.

O Exocet é programado para acertar o casco da embarcação próximo a linha d’água, o que aumenta as chances de afundamento. E foi o que aconteceu durante o teste da Marinha. O míssil lançado da fragata União atingiu o alvo em cheio, que afundou minutos depois.

Veja mais: Alô polícia! O Exocet vem aí!

Total
0
Shares
1 1 vote
Article Rating
68 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Inacio deFfreitas
Paulo Inacio deFfreitas
6 anos atrás

O mair heroi de todos os tempos, não tem batman, nao tem home de ferro nem nenhum outro heroi nesse nivel no universo, se ele vier do mesmo nivel da serie demolidor nunca mais cancelo minha assinatura da mnetflix

Paulo Ferraz
6 anos atrás

Que incrível, muito legal, mas acho que o Brasil poderia ter mais personalidade e se impôr mais para ganhar respeito contra traficantes e outros tipos de crimes que usam o imenso litoral brasileiro. esse teste pode ser o início disso.

Fernando
6 anos atrás

Brsteira. Não temos marinha nem para 1/2 de guerra contra um país de1° mundo! Melhor seria vender este barco para o ferro velho e ganhar uma grana!

Felisbrino
Felisbrino
6 anos atrás

Neste caso, o ataque foi contra um navio inativo… já com as ddefsas em alerta, seria bem diferente

Fábio
Fábio
6 anos atrás

PQP!!! Muito maneiro! Parabéns Marinha do Brasil!
PS: Qual seria o alcance desses mísseis? Não dá pra virar um pouquinho mais pro lado de Brasília não?

João nicolao
João nicolao
6 anos atrás

Míssil servem para alimentar pessoas?

Zémandioca
6 anos atrás

bunitinho de se ver né, agora me tira só uma duvida já recolheram mais um lixo marinho produzido pelo homem?

Miguel
Miguel
6 anos atrás

Que venham os países bolivarianos ! Propaganda de guerra , da boa, sim senhor .

Dirceu
Dirceu
6 anos atrás

Qual a distância?

Marco
Marco
6 anos atrás

Quanta ignorância, mais lixo no fundo do mar, porque não fazem esse teste na esplanada dos ministérios em Brasilia ao contrario teríamos lixo a menos.

edilson
6 anos atrás

Gostei da música também.

MARCIO VERLING DE OLIVEIRA

GOSTARIA DE VER ESSA AÇAO SERIA UMA COISA BEM DIFERENTE.

Bruno
Bruno
6 anos atrás

Não sei se estou fazendo raciocínio absurdo, mas isso me parece um descaso com o mar e a vida marinha, pois me parece utilizar o oceano como lixeira.

Alfredo Manuel
Alfredo Manuel
6 anos atrás

Que imbecilidade!! Dinheiro jogado no LIXO!!!

Lâmpada de Diógenes
Lâmpada de Diógenes
6 anos atrás

Forças Armadas profissionais, fortes e tecnologicamente avançadas. É o que tem sido buscado nos últimos anos: Submarino nuclear, KC-390, caças gripen, reaparelhamento do Exército, desenvolvimento de um complexo industrial-militar. Será que com a iminente volta dos antinacionalistas ao poder tudo isso será jogado fora? Voltaremos ao tempo do sucateamento, da quebra da indústria nacional (avibrás, engesa,…), da falta até de combustível, da total submissão a interesses externos (transformação da Base de Alcântara em território estrangeiro), da assinatura do TNP, …?

Laércio
Laércio
6 anos atrás

Que negócios mais sem graça, poderiam reutilizar essa embarcação para barrar a entrada de armas de contrabando e drogas nas nossas fronteiras marítimas, ou para outro fim útil. Peguem um barco de madeira mais barato para isso. Coisa de exibicionismo!

Rodrigo
Rodrigo
6 anos atrás

Quanta ignorância a de vocês, a marinha do Brasil precisa sim, e deve testar a eficácia de seus armamentos, e a corveta afundada virará lar para corais e recifes.

Felipe
Felipe
6 anos atrás

Pessoal. Só pra esclarecer essa questão de lixo marinho. A reportagem fala que a embarcação foi preparada, ou seja, ali ficou praticamente o casco. O restante foi retirado. Esse casco no fundo do mar serve de recife artificial para a vida marinha. Em diversos países esses procedimentos acontecem com muito sucesso.

Alex
Alex
6 anos atrás

Pessoal, desde q o navio esteja bem limpo, sem vestígios de óleo, combustível e outros produtos químicos, esse navio virará um belo recife de corais. Essa semana mesmo, um país que eu não me lembro qual, afundou 11 tanques de guerra com esse propósito. Deixem de mimimi.

Fota PT
Fota PT
6 anos atrás

sobra dinheiro no Brasil

armando
armando
6 anos atrás

Pqp, quantas pessoas davam para serem atendidas no SUS com o valor da venda dessa embarcação (ferro velho). Não dava para ser um alvo mais barato?

Oseas Firmo
Oseas Firmo
6 anos atrás

Gostei de ver esse vídeo, poderiam fazer mais vídeos igual ou melhor do que esse ainda. O Brasil precisa mostrar para os países esquerdopatas (Bolivarianos) que se eles se meterem com a gente (Brasil) vão se dar mal…mas muito mal mesmo!!

LUIZ FILHO
LUIZ FILHO
6 anos atrás

calcinha framboesa, calcinha antiaérea, calcinha de morango, calcinha EXOCET !

Vixe
Vixe
6 anos atrás

Exocet lendário…
Que digam os ingleses que perderam a fragata Sheffield, bombardeada por um missil Exocet, disparado por um caça Super Etandart Argentino que estava a 40 milhas de distância..

Luiz Carlos Tavares
Luiz Carlos Tavares
6 anos atrás

Deveriam canalizar toda esta força no combate ao crime organizado.

MOZART
MOZART
6 anos atrás

QUEM VAI RETIRAR ESSE LIXO DO OCEANO BANDO DE PORCOS.

MOZART
MOZART
6 anos atrás

QUEM VAI RETIRAR ESSE LIXO DO OCEANO?

Deus ex-machina
Deus ex-machina
6 anos atrás

a) O penguin original tinha alcance de 16 km. Hoje chega até uns 40 km. Mas isso não quer dizer nada, uma vez que em condições práticas isso muda bastante e o lançamento se daria a pouco mais de 8 km, no limiar do alcance dos misseis AA de pequeno porte. ( considerando que ele é efetivo contra navios de pequeno porte.). Para o exocet vale o mesmo, já que a versão lançada de navios teria um alcance original de 60 km, mas teria melhor desempenho que o norguegues contra navios do tamanho de uma fragata.
b) Gostaria de ver o mesmo teste como tal do MANSUP, que é a versão brasileira do exocet. Segundo propaganda aprimorada.
c) Missil mata fome. É uma industria como qq outra. Gera empregos, gera tecnologia e parque industrial. Moralmente vc pode questionar, mas gera mais emprego e renda que muitos outros negócios.
d) O navio afundado é retirado de todo o oleo combustivel e outros dejetos, assim como motores, fiação e eletronicos ( que são vendidos ou reaproveitados, canibalizados) Basicamente o que se afunda é o casco. Que vira um “berçario” de corais e vida marinha, dependendo do lugar aonde é afundado.
Claro, é lixo posto na água. Mas nada comparado à toneladas de residuo de oleo diesel que os barcos de passeio e pesca deixam no mar, em suas atividades normais, ou a poluição dos grandes navios ou mesmo a algo como os dejetos da SAMARCO>

dfgsdfg dffdg
dfgsdfg dffdg
6 anos atrás

Quem disse que usamos o oceano como lixo ?????
Utilizamos é o Planeta como Lixo !

Anderson
Anderson
6 anos atrás

Legal mais lixo no fundo do mar, depois todos ficam reclamando da ação da natureza quando ela resolve se vingar.

Pedro
Pedro
6 anos atrás

teste? parado, sem onda….

Sergio
Sergio
6 anos atrás

Coitado do Brasil, num teste destes vão passar um ano sem poder fazer outro, o gasto pra tudo isto é somente o que dispõe as forças armadas para apresentar um pobre poderio de guerra. As forças armadas mal tem dinheiro pra manter o efetivo que tem.

pablo
6 anos atrás

Acabou nossa munição geral, e agora, como vamos combater os amigos do PT.

Roberto Maia
Roberto Maia
6 anos atrás

Num futuro bem próximo, esses armamentos todos: navios de guerra (inclusive grandes porta-aviões), helicópteros, caças, submarinos e até armas nucleares; serão todos absoletos diante de armas que emitam poderosos feixes eletromagnéticos, que destruam todos os seus sistemas eletronicos, deixando-os inoperantes e a deriva.

IMAGINEM UMA OU MAIS ARMAS DESSAS, EM ORBITA TERRESTRE, E QUE POSSAM DIRECIONAR ESSES FEIXES PARA ONDE QUISEREM E COM CAPACIDADE PARA ATINGIR, SIMULTANEAMENTE, GRANDES ÁREAS, TANTO EM TERRA OU NO MAR.

Mateus
Mateus
6 anos atrás

Ao mesmo tempo que tenho orgulho desses bravos homem das forças armadas brasileiras, fico com a vergonha 2 vezes maior que o meu orgulho, país da sucata, da falta de investimento tecnológico, do obsoleto, da presidente dizendo que: “o ovo do mosquito já continha o vírus”, da impressionante capacidade para “1 hora de combate”.
Eu queria sentir orgulho do meu país, mais tenho vergonha.

Ze
Ze
6 anos atrás

Quanto custou a brincadeira de bombinha?
Depois falam do bolsa família…

Antonio Roberto Vieira
6 anos atrás

Quando um navio é afundado, o mesmo com o tempo passa a ser encrostado por corais, que por sua vez atrai vida marinha, e passa a ser um um verdadeiro berçário, atraindo e alimentando grandes colônias marinhas.

Luiz
Luiz
6 anos atrás

Com um mar territorial gigantesco como o brasileiro, é justificável o descarte de um vaso de guerra a pretexto de treinamento? A reciclagem ou o reaparelhamento da belonave seria tão custosa a ponto de tornar impossível a reforma e modernização do equipamento de modo a permitir sua sobrevida na frota da Armada? É certo que a embarcação soçobrada vai virar recife artificial e beneficiar o ecossistema onde repousa, mas optaria pela recuperação do equipamento se pudesse opinar sobre seu destino.

Vagner
Vagner
6 anos atrás

Bonito de se ver!
Dinheiro publico jogado fora!
Ah!!! Poluindo o mar.

Viva a marinha

Mateus
Mateus
6 anos atrás

kkkkkkkk Concordo. Só tem lata velha. Mande para o caldeirã
o do Huck, para pelo menos disfarçarem.

Edson
Edson
6 anos atrás

Um desse direito no peito de Dilma heim, meu Deus que tragédia, um míssil tão caro.

Thorn
Thorn
6 anos atrás

O Brasil tumultuado como está e agora a Marinha fazendo testes ! Sei não………

Vasco
Vasco
6 anos atrás

A noticia ruim e sob tinha dois misseis desses….kkk

julio reis
julio reis
6 anos atrás

Na verdade afundar navios para a vida marinha é muito mais benéfico pois eles virão abrigos para diversas espécies e recifes de corais !!!

Leopoldo Nascimento
Leopoldo Nascimento
6 anos atrás

Turma…. Nao se iludam… Tao queimando armamento velho da epoca de 70 e 80….somos so sucata…. Nossa Gloria sao nossos soldados..esses nao tem preco… Sao bons ate com pexera.

Patriota
Patriota
6 anos atrás

Vagner e demais desinformados. Leiam mais antes de fazer um comentário tão idiota. Lixo marinho aiai.

marcio
marcio
6 anos atrás

Espero que tenha sido em uma area que dê para montar uma operação de mergulho, vai ser um naufragio interessante!!!!

Celso da Silva Barbosa
Celso da Silva Barbosa
6 anos atrás

Fantástico. Excelentes tiros. Parabéns.

Marcelo
6 anos atrás

Por Favor, as coordenadas do afundamento…. Pelo menos que sirva para alguma coisa. Em 6 meses vira o pesqueiro….

Fábio
Fábio
6 anos atrás

Na guerra das Malvinas os britânicos exigiram e os franceses deram os códigos dos Exocets em mãos dos argentinos, que foram assim inutilizados. Qual a situação desses da Marinha Brasileira?

Previous Post
O Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro possui 23 radares no país (SISCEAB)

Sem recursos, Aeronáutica desliga radares

Next Post
Uma das tantas funções do KC-390 será o lançamento de cargas pela porta traseira (Embraer)

Embraer KC-390 testa abertura de portas em voo

Related Posts
Total
0
Share