Marinha dos EUA encomenda mais 11 aeronaves Boeing P-8A por US$ 1,6 bilhão

Nove aeronaves serão destinadas à Marinha dos EUA e duas vão para a força aérea da Austrália
P-8 da Marinha dos EUA lançando um torpedo de busca submarina (US Navy)
P-8 da Marinha dos EUA lançando um torpedo de busca submarina (US Navy)

A Marinha dos EUA concedeu nesta quarta-feira (31) à Boeing um contrato de US$ 1,6 bilhão para a produção de 11 jatos de patrulha marítima P-8A Poseidon. Nove dessas aeronaves serão incorporadas pela marinha norte-americana e duas irão para a frota da Força Aérea Real Australiana (RAAF), um parceiro do programa P-8A desde 2009.

Com o novo contrato, a Marinha dos EUA soma 128 P-8A encomendados, dos quais mais de 100 exemplares já foram entregues. A RAAF, por sua vez, receberá os dois últimos Poseidon de seu pedido, de 14 aeronaves. A aeronave também está em serviço nas forças armadas do Reino Unido e Índia. Outros clientes são a Noruega e Coreia do Sul, que receberão os aviões a partir de 2022.

“O P-8A continua a ser um ativo inestimável e essas aeronaves adicionais ajudarão a fornecer patrulha marítima expandida e capacidades de reconhecimento para a frota”, disse o Capitão Eric Gardner, gerente do programa Patrulha Marítima e Reconhecimento da Marinha dos EUA.

O P-8A é uma plataforma de patrulha marítima e reconhecimento baseado no jato comercial 737-800 NG (geração anterior ao 737 MAX). A aeronave pode voar por mais de 10 horas e 4.000 milhas náuticas (7.400 km) sem reabastecimento e transportar 9 toneladas de carga bélica. Entre os armamentos levados pelo Poseidon estão quatro mísseis anti-navio Harpoon, cinco torpedos e 129 sonoboias, dispositivos usados para detectar e rastrear submarinos.

O Boeing P-8 Poseidon é baseado no 737-800NG (Boeing)
O Boeing P-8 Poseidon é baseado no jato comercial 737-800 NG (Boeing)

“Continuamos a ouvir feedbacks de esquadrões da Marinha que nos dizem que o P-8A está superando as expectativas”, disse Stu Voboril, vice-presidente e gerente do programa P-8A da Boeing. “Nosso foco é entregar a melhor aeronave de patrulha marítima do mundo. Isso só acontece quando as equipes realmente colaboram, ouvem e se concentram nas prioridades do cliente.”

Introduzido em 2013 na Marinha dos EUA, o P-8A foi escolhido para substituir os antigos turboélices Lockheed P-3 Orion (baseado no memorável L-188 Electra), em serviço nos EUA desde a década de 1960.

P-8A Poseidon voando em formação com um antigo P-3 Orion (US Navy)

Veja mais: Alemanha pode ser o novo cliente do P-8A Poseidon

Total
36
Shares
Previous Post

Espólio da Fokker vai parar nas mãos de empresa que planeja relançar seus jatos

Next Post

Embraer aprova reabastecimento em voo entre dois KC-390 Millennium

Related Posts