O A380 da Lufthansa foi um dos visitantes mais recentes a se “hospedar” em Teruel (Plata)

O imenso espaço localizado no interior da Espanha já serviu como base aérea durante a guerra civil no país na década de 30. Sete décadas depois, transformou-se no maior centro de manutenção de aviões de grande porte da Europa. Estamos falando do Aeroporto de Teruel, localizado na província do mesmo nome e que tem sido citado com frequência sobretudo nos últimos meses, com o crescente movimento de estocagem de aeronaves de companhias aéreas que faliram e, recentemente, também por conta da pandemia do coronavírus.

Com apenas uma pista de 3 mil metros e dois hangares principais, o PLATA (Plataforma Aeroportuaria – Teruel) tem sido o destino de jatos célebres como os Boeing 747-400 da British Airways e os Airbus A380 da Lufthansa e Air France, que foram afastados do serviço diante do colapso no transporte aéreo nas últimas semanas.

Mas por que o desconhecido aeroporto tem sido tão procurado? A principal razão é a mesma que fez surgir dezenas de depósitos de aviões nos EUA, o clima seco, que facilita sua armazenagem. Os sócios do imenso MRO, o governo da comunidade autônoma de Aragão e a prefeitura de Teruel, decidiram investir na velha base aérea há pouco mais de uma década e que foi reaberta em 2013.

Não demorou para que o imenso estacionamento de aviões fosse tomado por diversos tipos de aeronaves, com destaque para parte da frota da companhia aérea russa Transaero, que faliu em 2015. Mas Teruel também realiza serviços de manutenção e desmanche de aviões, além da “hospedagem” provisória, como tem ocorrido com frequência nas últimas semanas.

Segundo relatos recentes, o aeroporto já acomoda cerca de 90 aviões, só ficando atrás de Madri Barajas, o hub internacional da Iberia, em número de aparelhos. Destes 43 são Boeing 747, incluindo alguns exemplares da British Airways que chegaram ao local no início de abril.

Em dias recentes foi a vez da Air France enviar parte dos seus A380 e que podem nunca mais voar pela companhia aérea. Já a Lufthansa foi uma das últimas empresas a chegar a Teruel, onde estão modelos como A340 e também o A380.

A318 da Avianca

Outro parceiro que contribui para ampliar a importância de Teruel é a empresa francesa Tarmac Aerospace, que tem como sócia a Airbus e realizou a primeira desmontagem de um A380, devolvido pela Singapore Airlines. Parte dos aviões que ela recebe é enviada para o clima seco espanhol.

Imagens recentes do aeroporto mostram uma variedade grande de aeronaves e companhias. Há jatos como o Airbus A330 da Etihad, quadrirreatores A340 que a TAP retirou de serviço e até o A318 usado pela Avianca Brasil antes de suspender sua operação.

Até o Embraer E190 já passou por uma estadia em Teruel, quando a companhia Ukranian Airlines enviou para lá alguns de seus aviões como também o 777.

Se para muitas empresas, a pandemia pode decretar o fim de seus negócios, para o PLATA significa ver seu faturamento crescer a ponto de uma nova área para estacionar os imensos aviões estar sendo preparada pela empresa. A fama de Teruel só tende a crescer daqui em diante.

A British Airways enviou parte de seus 747-400 para a Espanha enquanto espera pela retomada de seus voos (Plata)

Veja também: O desafio de manter aviões de passageiros preservados durante a quarentena