Os dois cargueiros Lockheed KC-130H Hercules comprados recentemente pelo governo do Uruguai da força aérea da Espanha já estão em sua casa em Montevidéo. A primeira aeronave pousou na capital uruguaia no sábado (18) e o segundo aparelho, na madrugada desta segunda-feira (21).

Pelo Twitter, o ministro da defesa uruguaio, Javier Garcia, disse que “a partir de hoje começa um processo de modernização de equipamentos essenciais” das forças armadas do país.

Os aviões de segunda mão comprados da Espanha foram fabricados em 1975 e 1976 e servirão para substituir outros dois Hercules mais antigos operados pela Força Aérea do Uruguai (FAU), da versão C-130B (fabricados na década de 1960). Um desses aparelhos já foi aposentado e o outro, o FAU 592, está participando de sua última missão na Antártica e será desativado em breve.

Em nota oficial, o Ministério da Defesa do Uruguai diz que os aviões receberam atualizações na Espanha a partir do ano 2000. “Uma das melhorias mais notáveis é a cabine de comando equipada com Glass Cockpit (instrumentos de vôo digitais), seus sistemas de automação de voo (piloto automático) e sistemas específicos para operação militar”, destaca o comunicado.

Essas aeronaves têm vida útil potencial de 38.000 horas de voo, diz o MoD uruguaio. “Levando em consideração que a FAU voa em torno de 500 horas por ano no Hércules, a vida útil dessas aeronaves com sua manutenção preventiva seria superior a 35 anos. Ambas as aeronaves estavam em serviço ativo na Força Aérea do Reino da Espanha.”

Esta também é a primeira vez que o Uruguai tem aeronaves “KC”, com capacidade para reabastecer em voo (REVO) outros aviões, como os jatos de ataque Cessna A-37B Dragonfly da FAU e que já dispõem de sondas para receber combustível de aviões-tanque.

C-130B Hercules - Força Aérea do Uruguai

FAU 592: o último C-130B operacional da FAU está em missão na Antártica (gub.uy)

Veja mais: Após mais de 50 anos, Uruguai quer voltar a operar caças