‘Airbus chinês’, C919 atrasa mais uma vez

Aeronave da COMAC ainda precisa realizar inúmeros voos de testes antes de atingir os requisitos da Civil Aviation Administration of China (CAAC), o que só deve ocorrer em 2022
COMAC C919
O C919 é o primeiro jato comercial desenvolvido inteiramente na China (COMAC)

Apesar de voar desde maio de 2017 e contar com nada menos que seis aeronaves de testes, o novo jato comercial chinês C919 ainda não obteve a certificação de tipo da CAAC (Civil Aviation Administration of China), a ‘ANAC’ chinesa.

Apelidado de ‘Airbus chinês’, devido às semelhanças de seu projeto com o A320, o jato bimotor está há anos em desenvolvimento, num processo desgastante que culminou com acusações de espionagem feitas pelos EUA.

Mesmo assim, até meados do ano, a expectativa era que a aeronave da COMAC fosse homologada no final de 2021, abrindo caminho para o início da operação comercial no ano que vem.

Porém, a autoridade de aviação civil chinesa confirmou na semana passada que o C919 só deverá concluir sua certificação em 2022. A informação foi compartilhada pelo executivo chefe da CAAC, Yang Zhenmei, na sexta-feira (3) em um fórum de aviação realizado em Xangai.

Imagem do que seria o primeiro C919 de produção em série

Zhenmei revelou que os protótipos do C919 realizaram apenas 34 voos de certificação até o início de dezembro, quando seriam necessários 276 ciclos.

Até então, esperava-se que o primeiro jato comercial fosse entregue em dezembro à OTT Airlines, subsidiária da China Eastern Airlines, a única companhia aérea a assinar contrato de compra e venda da aeronave, com cinco aeronaves.

Em novembro, o projetista-chefe do C919, Wu Guanhua, propôs que o programa recebesse mais recursos financeiros e aumento da força de trabalho, além de priorizar os testes para concluir a certificação.

O C919 é o maior avião comercial já desenvolvido na China e o primeiro a ser concebido completamente no país. A COMAC também produz o ARJ21-700, um jato regional baseado no antigo MD-95, dos EUA.

Total
17
Shares
0 0 votes
Article Rating
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
RODRIGO DE JESUS BARBOSA
RODRIGO DE JESUS BARBOSA
5 meses atrás

Esses Xing Ling copiam os Projetos de várias empresas em todos os setores e não dá nada… As empresas aéreas deveriam boicotar essas aeronaves!

Last edited 5 meses atrás by RODRIGO DE JESUS BARBOSA
Dario Lemos
Dario Lemos
5 meses atrás

Boicotar? Por acaso, acha que alguma empresa chinesa vai boicotar um equipamento chinês certificado pela agência chinesa e com total apoio do governo? O maior erro do ocidente foi fomentar industrialmente esse país (antes totalmente fechado) pela procura de menos custos de produção e não levaram em conta que estavam caindo em uma armadilha muito bem orquestrada pelo governo comunista. Vamos pagar (já estamos pagando) um alto custo por tais decisões.

Previous Post

Avião anfíbio Albatross ganhará motores turboélices PT-6

Next Post

Polícia Federal passa a contar com um jato Embraer E175

Related Posts