Airbus faz voo em formação com dois A350 para testar conceito sustentável

Batizado de “Fello’fly”, experiência é baseada em pássaros migratórios e aproveita a ‘esteira’ da aeronave líder para gerar uma economia de até 5% no segundo avião
Os dois A350 em formação: redução de mais de 6 toneladas de CO2 (Airbus)

A Airbus realizou nesta terça-feira, 9, a primeira demonstração do conceito “Fello’fly” em espaço aéreo transatlântico regulamentado. Trata-se de um voo em formação de dois jatos A350 que partiram de Toulouse, na França, com destino a Montreal no Canadá.

Os dois aviões percorreram a rota separados por 3 km, com o A350-900 número de série 1 como líder e o A350-1000 ‘MSN59’ em sua esteira de voo. O objetivo é aproveitar o menor arrasto proporcionado pela aeronave que voa à frente e com isso reduzir o consumo de combustível em cerca de 5%.

A experiência proporcionou uma redução de 6 toneladas nas emissões de CO², de acordo com a Airbus.

O programa “Fello’Fly” faz parte do Airbus UpNext e é baseado na biomimética, processo que busca desenvolver tecnologias baseadas na natureza. O voo em formação foi inspirado nos grandes pássaros migratórios como o ganso, que voam juntos na conhecida formação em V e que proporciona um esforço menor para os animais.

O voo de demonstração foi acompanhado por tripulantes da SAS e da Frenchbee (Airbus)

Para viabilizar que os dois A350 pudessem voar em formação, a Airbus desenvolveu sistemas de controle de vôo que mantinham os aviões conectados. Com isso foi possível reduzir o empuxo dos motores na segunda aeronave e assim gerar a economia esperada.

Este voo de demonstração é um exemplo concreto do nosso compromisso em tornar realidade o nosso roteiro de descarbonização. Ele também mostra como a colaboração em toda a indústria será a chave para que isso aconteça,” afirmou Sabine Klauke, Diretora Técnica da Airbus.

A fabricante europeia contou com a parceria de entidades de tráfego aéreo e de navegação como a DSNA, NATS, NAV CANADA, Eurocontrol e IAA, além de ter levado a bordo pilotos das companhias aéreas SAS e Frenchbee.

Segundo a Airbus, o próximo passo será obter o apoio das autoridades de aviação ciivl para que o novo conceito operacional possa ser certificado e ser utilizado no transporte aéreo comercial.

Total
33
Shares
Previous Post
Era Bombardier Q400, agora é De Havilland Canada Dash 8-400

De Havilland Canada retoma produção do turboélice Dash 8

Next Post

Startup Hermeus apresenta e testa seu primeiro protótipo de avião hipersônico

Related Posts