All Nippon Airways quer adiar recebimento de seu último Airbus A380

Companhia aérea do Japão deve receber seu terceiro e último “superjumbo” em outubro
Além do terceiro jato da ANA, a Airbus tem mais oito unidades do A380 para entregar, todos para a Emirates (Airbus)
Os A380 da ANA têm pinturas especiais em homenagem a vida marinha do Havaí (Airbus)

A companhia aérea japonesa All Nippon Airways (ANA) vem negociando com a Airbus desde o início deste mês o adiamento da entrega de seu terceiro e último A380 encomendado. Antes da pandemia do novo coronavírus e o declínio na demanda de viagens aéreas, a empresa esperava receber a aeronave em março. O prazo agora foi empurrado para meados de outubro.

A ANA não voa com seus A380 desde o dia 24 de março. Os jatos vinham sendo operados em voos do Japão para o Havaí, um destino muito frequentado por turistas japoneses. Com as restrições de viagens ao arquipélago no Pacífico impostas pelos EUA, a companhia foi forçada a aterrar seus “superjumbos”.

O último A380 da ANA, o modelo com pintura laranja a matrícula JA383A, está armazenado na fábrica da Airbus em Toulouse, na França.

“A aeronave com entrega prevista para a segunda metade deste ano fiscal será transferida para o próximo ano fiscal”, disse o presidente e CEO da ANA, Shinya Katanozaka, ao Airline Geeks.

Além do A380, a companhia japonesa também postergou o recebimento de jatos Boeing 787 e do novo 777X.

Gigantes coloridos: Cada um dos três A380 da ANA terá uma pintura diferente (Airbus)

“Quanto ao 777-9X que encomendamos, a entrega foi adiada em parte devido às circunstâncias que aconteceram”, acrescentou Katanozaka, referindo-se aos atrasos da Boeing no programa 777X.

O terceiro A380 da ANA é um dos últimos nove aparelhos do tipo na lista de pedidos da Airbus, que no ano passado confirmou o encerramento do programa e a descontinuação da aeronave em 2021. Os demais aparelhos encomendados são destinados à Emirates Airlines, que por sua vez cogita cancelar o recebimento de pelo menos cinco dessas aeronaves.

O jato de dois andares da Airbus é de longe o avião widebody proporcionalmente mais desativado pelo impacto da pandemia do Covid-19. Na semana passada, a Air France anunciou a retirada definitiva do A380 em sua frota, enquanto a Lufthansa confirmou, em abril, a desativação de seis aparelhos.

Esperando uma lenta retomada no mercado no período pós-pandemia, outros operadores da aeronave, entre eles Singapore Airlines, Qantas Airways e Qatar Airways, também planejam reduzir suas frotas do tipo ou desativá-los em definitivo e trocá-los por modelos bimotores mais eficientes.

Diante do contexto econômico atual e sem um horizonte claro no mercado de segunda mão, a carreira do A380 na aviação comercial pode estar perto do fim.

Veja mais: Mitsubishi abandona projeto de jato rival da Embraer

 

Total
30
Shares
Previous Post

Mitsubishi abandona projeto de jato rival da Embraer

Next Post

Produção do novo jato russo Il-96-400M avança durante a pandemia

Related Posts