O Overture com ‘roupagem’ do Air Force One (Boom)

A Boom Supersonic anunciou nesta terça-feira, 08, ter sido agraciada com um contrato para participar do programa da Força Aérea dos EUA que estuda uma versão supersônica do Air Force One, o avião presidencial norte-americano.

O Departamento de Defesa tem destinado recursos para acelerar o desenvolvimento de um jato de passageiros capaz de voar em velocidades entre Mach 1.8 e Mach 5 e já tem acordos com outras duas startups, a Hermeus e a Exosonic.

“O voo supersônico une as pessoas, seja para trabalho, família ou diplomacia global”, disse Blake Scholl, fundador e CEO da Boom. “Ao reduzir o tempo de viagem, possibilitamos que diplomatas e líderes executivos dos EUA se conectem com mais frequência pessoalmente, enfrentando desafios e neutralizando crises potenciais com um toque pessoal. Estamos muito orgulhosos de ajudar a imaginar uma nova maneira de a Força Aérea fornecer transporte para atividades críticas do governo”, completou.

A Boom é uma das empresas com o projeto de supersônico mais avançado. Em outubro, ela pretende apresentar o XB-1, um aeronave conceitual em menor escala que está sendo concluída em suas instalações em Denver, no Colorado, e deve voar em 2021.

Com os voos de testes do XB-1, a Boom planeja conseguir definir a configuração final do Overture, seu jato de passageiros supersônico com até 75 lugares. Com aparência similar ao Concorde, o avião utilizará três motores sem pós-combustor e poderá voar a Mach 2.2.

O avião hipersônico da Hermeus com ares de Air Force One: Nova York a Londres em 90 minutos (Hermeus)

Segundo a Boom, um voo entre Nova York e Londres poderá ser feito em 3 horas e 30 minutos em vez de 6h30 com os jatos subsônicos atuais. Além disso, o Overture cumprirá os rigorosos regulamentos de aeronavegabilidade da FAA, a agência de aviação civil. A empresa também afirma que o supersônico poderá ser usado em missões militares sem especificar quais.

“A Força Aérea dos EUA está constantemente em busca de oportunidades tecnológicas para romper o equilíbrio com nossos adversários”, explicou o Brigadeiro-General Ryan Britton, da Diretoria de Transporte Aéreo Presidencial e Executivo da USAF. “A Boom é um exemplo da engenhosidade americana que impulsiona a economia por meio de avanços tecnológicos. Estamos extremamente entusiasmados em trabalhar com eles enquanto buscamos ‘encolher’ o mundo e transformar o futuro do transporte aéreo executivo”.

O Overture deverá iniciar seu programa de testes em voo em meados da década de 2020 e entrar em serviço em 2030.

A Boom quer colocar o Overture em serviço em 2030 (Boom)

Veja também: EUA preparam novo regulamento para aviões comerciais supersônicos