Concepção artística do TF-X, o primeiro caça desenvolvido na Turquia (TAI)

A Turquia está a poucos passos de entrar no seleto grupo de nações com capacidade para construir caças de última geração. Primeiro avião de combate projetado no país, o TF-X deve decolar em 2023, ano em que será celebrado o centenário da República Turca.

O prazo foi anunciado recentemente pelo presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan. “Nosso avião de combate, construído com recursos e tecnologias nacionais em todas as suas fases de desenvolvimento, do design à produção, voará em 2023”, disse o líder turco.

O desenvolvimento do caça bimotor com tecnologia furtiva é capitaneado pela Turkish Aerospace Industries (TAI) e conta com a colaboração da fabricante britânica BAE Systems. As primeiras unidades operacionais do jato turco devem entrar em serviço em meados de 2029.

Dados preliminares da TAI indicam que o TF-X terá peso máximo de decolagem de 27.200 kg, 19 metros comprimento por 12 m de envergadura e velocidade máxima de Mach 2 (2.470 km/h). Tais números são semelhantes aos do jato de quinta geração Lockheed Martin F-22 operado nos EUA.

De acordo com o fabricante turco, o jato inicialmente será impulsionado por dois motores General Electric GE F110 produzidos sob licença na Turquia pela TUSAŞ Engine Industries (TEI). Versões desse motor são utilizadas, por exemplo, nos caças norte-americanos F-15 e F-16. Mais adiante, o TF-X contará com um motor caseiro baseado no EJ200 usado no Eurofighter Typhoon.

O governo turco ainda não definiu quantos TF-X devem ser incorporados à força aérea. No entanto, é esperado um grande volume, uma vez que no longo prazo o novo jato é proposto para substituir os mais de 200 caças F-16 em serviço no país, além de suprir a necessidade da Turquia por aeronaves de combate de última geração, já que a nação foi expulsa do programa F-35.

Veja mais: Suécia e Reino Unido formalizam parceria para construir novos caças