Rússia prepara versão de exportação do caça furtivo Sukhoi Su-57

Primeiro caça russo de quinta geração já despertou o interesse de nações como a Turquia e Argélia
Su-57 Após uma longa demora, a Rússia finalmente tem um caça de 5º geração (Dmitry Zherdin)

A versão de exportação do novo caça russo Su-57 será exibida pela primeira vez no próximo domingo, 23 de agosto, na abertura do fórum militar internacional Army-2020, em Moscou, informou a Rostec, controlador do grupo UAC, que detém os direitos da fabricante Sukhoi. O avião também fará uma demonstração de voo durante o evento, que segue até o próximo sábado, 29.

Primeiro caça de quinta geração desenvolvido na Rússia, o Su-57 é uma aeronave multimissão “projetada para destruir todos os tipos de alvos aéreos, terrestres e navais”, como cita a Rostec. O novo jato de combate possui tecnologia furtiva, o que o torna “invisível” aos radares e vem equipado com um poderoso computador de bordo, que a fabricante chama de “segundo piloto eletrônico”. A aeronave ainda é capaz de voar em velocidade de cruzeiro supersônica sem acionar os pós-combustores do motores e leva seus armamentos “escondidos” em compartimentos na fuselagem, incluindo mísseis hipersônicos.

Fruto do projeto PAK-FA, o Su-57 fez seu voo inaugural em 29 de janeiro de 2010 e no ano passado as primeiras unidades foram incorporadas na força aérea russa e até já entraram em combate na Síria, embora o caça ainda não esteja totalmente operacional. A produção em série de aeronave será inciada até o final deste ano, informou recentemente o governo russo.

Alguma das nações que já manifestaram interesse no Su-57 são a Turquia, Argélia e Egito, mas nenhum delas ainda avançou para a parte de negociações com a Rússia e o fabricante.

Os visitantes do fórum militar em Moscou também poderão conferir apresentações aéreas do novo caça MiG-35 (uma evolução do MiG-29) e as versões mais recentes dos helicópteros de ataque Kamov Ka-52 e Ka-27M.

Os Su-57 incorporados na força aérea russa ainda não estão plenamente operacionais (Dmitry Zherdin)

Su-57 foi oferecido ao Brasil

Em 2013, o governo da Rússia ofereceu ao Brasil a chance de participar do projeto PAK-FA. O acordo sugerido pelos russos também previa a produção da aeronave no país em parceria com empresas brasileiras, entre elas a Embraer.

Nessa época, o russos acreditavam que o Brasil poderia cancelar o programa FX-2 e lançar uma nova concorrência na qual o Su-57 poderia ser incluído. Isso, porém, não foi concretizado.

Com a Sukhoi excluída, a etapa final do programa FX-2 foi disputada entre os caças Dassault Rafale, Boeing F/A-18 e o Saab Gripen E, que foi o modelo escolhido pela Força Aérea Brasileira.

Veja mais: E se o Brasil não tivesse comprado os caças Gripen?

Total
15
Shares
Previous Post

Alemanha recebe primeiro avião presidencial baseado no Airbus A350

Next Post

Novo caça da FAB, F-39 Gripen é pilotado por brasileiro pela primeira vez

Related Posts