Delta troca Boeing 767-400 por Airbus A330 no voo para Detroit

Novo birreator passa a operar em outubro oferecendo 19% mais assentos na trecho. E voo para Orlando voltará a ser diário em dezembro
A330 voa entre São Paulo e N. York
Birreator aumentará oferta de assentos entre São Paulo e Detroit em 19%
Birreator aumentará oferta de assentos entre São Paulo e Detroit em 19%

Num momento em que várias companhias internacionais reduzem frequências ou até saem do mercado brasileiro, a notícia vem em boa hora: a Delta aumentará a oferta de assentos na rota São Paulo-Detroit e confirmou que o voo entre a capital paulista e Orlando voltará a ser diário em dezembro.

A estratégia para levar mais passageiros para Detroit é simples: a companhia americana decidiu substituir o Boeing 767-400 usado atualmente pelo A330-300, também birreator, mas é capaz de levar 19% mais pessoas. No arranjo interno, o Airbus 41 passageiros a mais na classe econômica (219 contra 178) e 12 pessoas a mais na Comfort+ (40 contra 28). A desvantagem do modelo é ter apenas 28 poltronas da classe executiva “Delta One” embora sejam de um padrão superior.

O A330 é um jato que teve uma atuação muito forte nos voos internacionais partindo do Brasil depois de ser escolhido como aeronave principal da TAM (atual LATAM), mas a empresa aposentou sua frota nos últimos meses. Hoje são poucas companhias que permanecem com ele. No país, a Azul passou a operar o birreator no final de 2014 e a própria Delta voa com o A330 entre Atlanta e o Rio de Janeiro. A novidade é a escolha da versão A330-300, com maior capacidade que o A330-200 da TAM e Azul.

Voo diário para Orlando

A Delta também confirmou durante a 44ª edição da feira ABAV que o voo entre São Paulo e Orlando voltará a ser diário – atualmente, são três voos por semana, às terças, sextas e domingo. A companhia americana também já nota uma leve retomada na demanda por passagens internacionais nos últimos meses.

Por outro lado, a Korean Air realizou seu último voo entre Guarulhos e Seul no último fim de semana. A companhia asiática já havia anunciado que não continuaria na rota após as Olimpíadas. Nesse caso, o maior motivo é a competição acirrada das empresas do Oriente Médio e a concorrência da American Airlines no trecho São Paulo-Los Angeles. Ironicamente, as duas companhias têm um acordo de code-share que pode acomodar passageiros que seguem para California em voos da American com conexão para Seul.

Total
0
Shares
0 0 votes
Article Rating
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Julio Cordeiro
Julio Cordeiro
5 anos atrás

Estou indo a Chicago (United) no final do mês e dei sorte…foi alterado o equipamento de um 767-300 para o 777-200.
Em compensação, a volta via Newark que seria com o 767-400 foi rebaixado para o 767-300, que não tem tomadas na econômica nem na Economy Plus, e os monitores do assento à frente são de baixa resolução…ganho por um lado, perco do outro…

Previous Post
Força Aérea Brasileira (FAB) já transportou 76 órgãos desde junho deste ano

Abear e FAB celebram contribuições no transporte de órgãos

Next Post
O ER-2 pode voar a 70 mil pés, mais que o dobro de um jato comercial (NASA)

Avião de pesquisa da NASA fará nova parada no Brasil

Related Posts
Total
0
Share