Embraer conclui testes de desembarque de tropas e evacuação do KC-390

Ensaios atendem aos requisitos exigidos para o a certificação de Capacidade Final de Operação do novo avião militar
A FAB encomendou 28 aeronaves KC-390 da Embraer (FAB)
A FAB encomendou 28 aeronaves KC-390 da Embraer (FAB)
A FAB encomendou 28 unidades do KC-390; primeiras unidades serão entregues em 2019 (Divulgação)

A Embraer anunciou nesta quarta-feira (21) que concluiu os testes de desembarque de tropas e evacuação de cabine pelas escotilhas e portas dianteiras e traseiras do KC-390. Como explica a fabricante, esses ensaios são alguns dos requisitos exigidos para alcançar a “Capacidade Final de Operação” (Final Operational Capability – FOC), a certificação militar final da aeronave, que deve ser finalizada no último trimestre de 2019, informou a fabricante.

Os testes de desembarque e evacuação com a aeronave foram realizados na Base Aérea de Brasília e contou com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Exército Brasileiro. Ao todo, as provas envolveram cerca de 370 militares.

“Ao completar com excelência mais essa importante etapa da campanha de testes rumo à certificação militar final, o KC-390 demonstra cumprir com os mais rígidos padrões de operação e segurança da indústria”, disse Walter Pinto Júnior, diretor do programa KC-390.

Recentemente, o novo avião militar da Embraer recebeu a certificação civil da ANAC, homologação que libera sua comercialização. Essa liberação é emitida pelo órgão regulador quando o projeto de uma nova aeronave demonstra ter cumprido todos os requisitos operacionais de segurança e de proteção ambiental, obrigatórios para sua utilização.

A FAB, até o momento o único cliente com pedidos firmes do KC-390, vai receber as primeiras unidades da aeronave a partir de 2019 – a encomenda contempla 28 aviões.

Gigante brasileiro

O Embraer KC-390 é o maior avião desenvolvido na América Latina, com peso máximo de até 81 toneladas – embora não seja o maior em comprimento, proeza que pertence ao novo jato comercial E195-E2. O avião militar foi projetado para atender os requisitos operacionais da Força Aérea Brasileira (FAB) e para substituir a frota dos turbo-hélices Lockheed Martin C-130 Hercules, que voam no Brasil desde 1964.

A Força Aérea Brasileira vai receber 28 jatos KC-390 em 12 anos a partir da primeira entrega, em 2018 (FAB)
O KC-390 pode decolar com peso máximo de até 81 toneladas (FAB)

O KC-390 foi desenvolvido para cumprir as mesmas missões do antigo turbo-hélice fabricado nos Estados Unidos, mas com praticamente o dobro da velocidade (até 850 km/h) e mais carga, com capacidade máxima de 26 toneladas (6 ton a mais que o Hercules). E a lista de tarefas da aeronave é enorme.

Além do transporte de equipamentos e tropas, o cargueiro militar da Embraer pode lançar cargas e paraquedistas, reabastecer outras aeronaves em voo (e também ser reabastecido), realizar missões de busca e salvamento com equipamentos especiais, combate a incêndios florestais e até voos para Antártica.

Cada unidade do KC-390 é avaliada em cerca de US$ 85 milhões (cerca de 319,3 milhões). Além de suprir as necessidades da FAB, a Embraer acredita que o novo jato militar também pode ser uma das principais opções do mercado no segmento de cargueiros militares médios nos próximos 20 anos, substituindo justamente antigas frotas de Hercules pelo mundo.

Veja mais: Embraer vê “enormes” oportunidades para o E195-E2 nas Américas

Total
0
Shares
2 comments
  1. O K390 ainda pode melhorar muito. Falta criar uma versão com a fuselagem mais extensa possibilitando maior uso Civil como cargas indivisíveis como grandes turbinas, guindastes,grandes helicópteros. As adaptações não ficaram muito caras pois usará as mesmas plataformas e certificações já concedidas.

  2. Achei que o KC390 seria um bom widebody regional, com assentos 2+2+2 e dois corredores, sem assento do meio. Para disputar com Bomba C-eries, na faixa dos 150 pax. Mas agora com a Boeing o negocio tomou outro rumo. Fica a idéia.

Comments are closed.

Previous Post
(Boeing)

Primeiro Boeing 777X entra na fase final de produção

Next Post

American Airlines trocará o Boeing 757 pelo novo 737 MAX nos voos para Brasília

Related Posts