Emirates Airline está perto de reduzir seu pedido de jatos 777X

Companhia aérea é a maior cliente do novo widebody da Boeing, mas tenta trocar parte do pedido de 115 aviões por unidades do 787
A Emirates tem um pedido de 115 777X (Emirates)
A Emirates é uma das poucas companhias aéreas que se encaixam no perfil do misterioso cliente da Boeing (Emirates)

A Emirates voltou a admitir que está negociando com a Boeing a troca de pedidos do novo widebody 777X pelo menor 787. Em entrevista à Bloomberg na semana passada, Adel Al Redha, chefão de operações da empresa, confirmou a intenção de substituir parte dos 115 jatos encomendados pelo Dreamliner.

Segundo Al Redha, as negociações estão em andamento, incluindo um novo cronograma de entrega dos aviões, mas não deu detalhes sobre o número de 777X que podem ser trocados. “Acho que a Boeing prefere entregar os 777s antes do 787 porque esse é um novo programa para eles”, disse Al Redha.

Se for confirmada, será a segunda redução na encomenda da Emirates, que no final de 2019 cortou 35 unidades do 777X de um pedido original de 150 aviões. A Boeing possui até o momento 309 pedidos firmes do maior avião bimotor de passageiros da história.

Desde o início da crise causada pela pandemia do coronavírus, os clientes do 777X têm insinuado que podem postergar, cancelar ou alterar seus pedidos, como foi o caso da Cathay Pacific, que tem um acordo para 21 widebodies.

Por sua malha de voos de longo alcance, a Emirates tem sido duramente afetada pelas restrições impostas no tráfego aéreo internacional por países temerosos com a proliferação do vírus. A companhia aérea pretende ampliar sua rede de destinos para 80 cidades em setembro, mas está distante dos cerca de 500 voos diários pré-pandemia. Com seu hub em Dubai, a Emirates usava sua frota de A380 e 777 para conectar várias partes do mundo.

No entanto, a ocupação dos voos até o momento tem sido muito baixa, de pouco mais de 40%. A empresa tem utilizado o 777 na maior parte dos voos, mas desde julho voltou a voar com o A380 para algumas cidades.

Além do pedido de 115 Boeing 777X, a Emirates também tem uma encomenda de 30 787 e de 50 Airbus A350 que começarão a ser entregues em 2023. A companhia também tenta cancelar a entrega de oito novos A380 com a Airbus.

Por conta dos problemas com o atraso do desenvolvimento do jato e as dificuldades causas pela pandemia, a Boeing decidiu postegar a entrada em operação do 777X para 2022.

Primeiro 787 da Emirates será entregue em 2023 (Emirates)

Veja também: Boeing recebe pedidos por jatos MAX mas o chama de 737-8

Total
4
Shares
Previous Post

Rival do Embraer C-390, primeiro Antonov An-178 de série está quase pronto

Next Post

Teste em túnel de vento revela mais detalhes do caça Tempest

Related Posts
Total
4
Share