Entregas de aviões da Embraer recuaram 67% no segundo trimestre

Afetada pela crise do coronavírus, fabricante entregou apenas quatro jatos comerciais e 13 modelos executivos nos últimos três meses
O jatinho Phenom 100E pode voar a velocidade máxima de 722 km/h (Foto - Embraer)
O jatinho Phenom 100E pode voar a velocidade máxima de 722 km/h (Foto – Embraer)
A Embraer exibiu o E190-E2 em Farnborough com uma pintura especial (Embraer)
A Embraer tem 11 pedidos firmes pelo novo E190-E2 (Embraer)

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira, 20, a Embraer informou que entregou um total de 17 jatos no segundo trimestre de 2020 (2T20), sendo quatro comerciais e 13 executivos. O resultado equivale a uma queda de 67% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando a fabricante entregou 51 aeronaves (26 comerciais e 25 executivas).

De acordo com a Embraer, a redução nas entregas de aeronaves nos últimos três meses ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, que afeta o mundo todo. Apesar de baixo, o resultado do 2T20 já ligeiramente maior que o registrado no primeiro trimestre do ano, quando entregou 14 aeronaves (cinco jatos comerciais e nove executivos).

Os aviões comerciais entregues pela Embraer no 2T20 foram dois E175 de primeira geração para a Skywest e dois E190-E2, para a Helvetic Airways. No segmento executivo, a fabricante entregou dois Phenom 100, sete Phenom 300, um Praetor 500, dois Praetor 600 e um Legacy 650.

Ao contrário de Airbus e Boeing, que já registraram uma série de cancelamentos de encomendas durante a pandemia, a empresa brasileira até o momento não perdeu um único pedido. Em vez disso, os clientes da Embraer estão adiando o recebimento de novos jatos.

Até 30 de junho de 2020, a carteira de pedidos firmes a entregar da Embraer totalizava US$ 15,4 bilhões. A lista de encomendas da fabricante inclui 159 jatos E175, quatro E190, 11 E190-E2 e 140 E195-E2. Por questões estratégicas, a empresa não divulga o número de jatos executivos encomendados.

Destaques da Embraer 2T20

No segmento de aviação comercial, a Embraer entregou o E-Jet de número 1.600, recebido pela Helvetic Airways. Além de receber a aeronave comemorativa, a empresa aérea da Suíça anunciou uma mudança no pedido firme com a fabricante, convertendo quatro jatos E190-E2 para o E195-E2, maior aeronave da família de E-Jets E2. A Helvetic tem agora oito pedidos firmes para o E190-E2, quatro para o E195-E2, e direitos de compra para mais doze E-Jets E2.

Ainda neste período, a Congo Airways alterou o pedido firme feito em dezembro de 2019, originalmente para duas aeronaves E175, com direitos de compra de duas unidades adicionais do mesmo modelo, para uma encomenda de dois jatos E190-E2, com direitos de compra para mais dois aviões.

No segmento de Defesa e Segurança, a Embraer entregou o terceiro avião de transporte multimissão C-390 Millennium de série à Força Aérea Brasileira (FAB). Da mesma forma que as duas unidades entregues em 2019 e as demais 25 a serem entregues à FAB, a terceira unidade é preparada para realizar missões de reabastecimento aéreo, com a designação KC-390 Millennium.

No segmento de Aviação Executiva, a Embraer anunciou a primeira entrega do novo Phenom 300E para o Dunham & Jones, P.C., escritório de advocacia do Texas (EUA). O período também a entrega do último Legacy 650, modelo que é uma variante do antigo jato comercial ERJ-135.

A empresa alemã Air Hamburg recebeu o último Legacy 650 produzido pela Embraer (Air Hamburg)

Veja mais: Aeronave comercial mais vendida da Embraer, E175 completa 15 anos

 

Total
16
Shares
Previous Post

Aeronave comercial mais vendida da Embraer, E175 estreava há 15 anos

Next Post
O aeroporto de Congonhas é o mais rentável sob controle da Infraero (Thiago Vinholes)

Pista principal do Aeroporto de Congonhas será reformada

Related Posts